27
jan
09

Especial: Paulo Sérgio… o incompreendido.

O LP de 1987 - O 1º Tributo à Paulo Sérgio

O LP de 1987 - O 1º Tributo à Paulo Sérgio

Paulo Sérgio… se você tem menos de 40 anos de idade, há uma grande probabilidade de achar que esse nome pertence a um jogador de futebol. Mas não é… provavelmente o jogador ganhou esse nome em homenagem à ele: o cantor Paulo Sérgio.

Paulo Sérgio morreu prematuramente aos 37 anos de idade, vítima de um AVC – popularmente dito, aneurisma cerebral. Reza a lenda que, numa apresentação no Programa do Bolinha, o cantor teria se irritado muito com uma fã. Saiu da TV  Bandeirantes com uma forte dor de cabeça, mas tinha ainda que fazer um show naquela noite…

E foi assim, que ele teve uma crise em pleno palco, sendo internado às pressas… Alguma semelhança com a morte de outra grande cantor? Sim: Tim Maia.

Ambos – Tim e Paulo – foram artistas incompreendidos e acima de tudo: injustiçados.

“O inimitável” versus “O imitador”

Há no Dicionário Houaiss de MPB ¹, um verbete dedicado à Paulo Sérgio:

Sérgio de Macedo (Paulo)…. [10/3/1944 Alegre ES - 30/7/1981 São Paulo SP]. Cantor, compositor. Considerado um dos precursores d0 estilo que se convencionou chamar de brega-romântico, foi um dos cantores mais populares do país, com um público que ficaria chocado com seu precoce falecimento.

Mudou para o Rio de Janeiro EJ em 1966 e iniciou a carreira em 1968. Foi considerado um substituto à altura de Roberto Carlos, que começava à abandonar o movimento Jovem Guarda. Devido ao estilo de cantar e repertório, foi considerado por muitos um imitador desse cantor.

Lançou o compacto “A última canção” [1968, Carlos Roberto], que vendeu mais de 60 mil cópias em apenas três semanas. Seu repertório era uma coleção de sucessosm tais como “Não creio em mais nada” [Totó], “Eu te amo tanto, tanto” [c/ Manoel Pinto e Cirus] e “Minha madrinha” [c/ Eustáquio Sena]. Lançou cerca de 16 LPs.

A partir de 1995, a gravadora Copacabana passou a reeditar seus discos em CD. Em 2005, em pleito realizado pela “Revista de Domingo” do Jornal do Brasil, averiguando os dez discos que emplacaram, averiguando os dez discos que emplacaram não um, mas diversos sucessos ao mesmo tempo, obteve o 4º lugar, com o disco Ultima Canção [1968].

O verbete com a biografia de Paulo Sérgio no Dicionário Houaiss, é sem sombras de dúvidas, prova incontestável do prestígio e popularidade desse artista. Porém, há algumas informações e curiosidades que parecem desencontradas.

Uma coisa é certa: a fama de imitador de Roberto Carlos perseguiu Paulo Sérgio durante toda sua vida artística. Há quem diga – não existe uma biografia sobre o cantor (ainda… estou pensando em escrever uma) – que, essa perseguição implicável da mídia e o rótulo de “substituto”, foram um peso muito mais forte que Paulo Sérgio pudesse ter carregado…

No Almanaque da Jovem Guarda, o autor Ricardo Pugialli traz uma declaração que Paulo Sérgio teria dado, na época, quando submeteu-se à uma cirurgia nas cordas vocais:

O desabafo de Paulo Sérgio

“Operei a garganta, para ver se a minha voz ficava diferente do Roberto Carlos. Não adiantou. Estou desesperado, já não aguento mais ouvir todo mundo dizer que eu imito o brasa”.

Paulo Sérgio já se restabeleceu da operação e já vai começar a promover duas músicas novas, Se você voltou e Quando a saudade apertar.

Confirmando a informação que o Houaiss – no caderno B do Jornal do Brasil – Paulo Sérgio realmente figurou entre os mais vendidos daquele ano. No livro Almanaque, na seção “Lançamentos do Mês de Abril de 1968″, o LP “Paulo Sérgio – Vol. 1″ (Caravelle LPNF 6009) figura na 9ª colocação.

As coincidências entre Paulo Sérgio e Roberto Carlos não se limitavam apenas no “visual” e na “voz”: ambos eram nascido no estado do Espírito Santo e tinham vido para o Rio de Janeiro tentar a sorte: Roberto, é de Cachoeiro do Itapemirim (ES); Paulo, é de Alegre (ES).

Coincidência ou não, em Dezembro de 1968, Roberto Carlos lança o disco “O inimitável“, que muitos consideram sua resposta à meteórica ascenção de Paulo Sérgio naquele ano. Tanto o livro “Robero Carlos em Detalhes” quanto o livro “Roberto Carlos – Série FOLHA Explica”, trazem alguma menção à veracidade desse boato e dessa “suposta antipatia recíproca”.

As lendas-urbanas sobre a morte de Paulo Sérgio

Dizem que lendas urbanas são histórias que nascem no imaginário popular de uma cidade grande e se espalham, como fato jornalístico: inclusive, com muita gente testemunhando e afirmando ser verdade tais acontecimentos. Jung, o psiquiatra, estudou esse fenômeno do “inconsciente coletivo” quando muitas pessoas nos Estados Unidos afirmaram ter visto OVNIs e ETs.

Com Paulo Sérgio, acontece o mesmo sobre sua morte. Como dissemos, à começar pelas circunstâncias dela. Muitos atribuem que o aneurisma foi resultado de uma combinação fatal de remédios e bebidas, pois, Paulo Sérgio estaria em depressão há alguns anos…

Outro mistério que ronda a morte de Paulo Sérgio, tem a ver com os rumores de que o mesmo morreu “de aborrecimento”. O único livro que encontrei que fala sobre isso é o Almanaque da Música Brega, onde o autor Antônio Carlos Cabrera, no verbete dedicado ao cantor diz:

Paulo Sérgio: Cantor e compositor, Paulo Sérgio de Macedo nasceu em 10 de março de 1944, em Alegre, Espírito Santo. Começou sua jornada musical em 1968, correndo atrás do vácuo deixado pelo final do movimento Jovem Guarda.

Com a música “A última canção” (“… esta é a última canção / que eu faço pra você…”) alcançou o sucesso e virou fenômeno de vendagem. Foi rotulado durante muitos anos como imitador de Roberto Carlos, em parte por ter um estilo musical parecido e também pela origem, já que “O Rei” também nasceu no estado do Espírito Santo.

Aos poucos foi conquistando o respeito e carinho dos fãs. Vários sucessos vieram em seguida: Eu te amo, eu te venero (“… eu te amo / eu te venero / és para mim / tudo, tudo que eu quero…”), Minhas qualidades, meus defeitos (“… sei que minhas qualidades cobrem meus defeitos / e não é direito / você / querer pôr todos contra mim…”) e o clássico Quero ver você feliz (“… meu filho, Deus que lhe proteja / e onde quer que esteja reu rezo por você…”).

Um escândalo relatado na revista O Cruzeiro, de 15 de setembro de 1970, falava da menor O.C.S.G., de 16 anos, que havia ficado grávida e dado à luz uma filha de Paulo Sérgio. O cantor assumiu  paternidade da criança na época. A mãe da menor acusava o cantor de seduzir sua filha e de ser alcoólatra.

No programa do radialista Altieres Barbiero, Paulo respondeu à pergunta do comunicador: “Você tem medo de morrer?”. A resposta de Paulo foi: “… não sei se tenho, às vezes tenho, às vezes não. Acredito que todos nós temos medo de morrer… Se ela vier agora, vai me pegar desprevenido e não vou ter medo. Mas tenho certeza de que daqui a alguns anos, quando eu estiver mais velho e souber que ela está chegando, vou ter medo, sim”.

Na saída do programa dominical do apresentador Bolinha, na TV Bandeirantes, em 27 de julho de 1980, (sic) discutiu com uma freqüentadora do auditório do programa, ficando muito transtornado. No mesmo dia, dirigiu-se a um circo em Itapecirica da Serra, para uma apresentação, já sentindo fortes dores de cabeça. Durante o show, passou mal e foi levado às pressas a um hospital, falecendo em seguida, devido a um aneurisma cerebral.

Seu enterro foi cercado de grande comoção pública, com manifestação de desespero por cententas de fãs angustiados com a perda do ídolo jovem.

Várias lendas foram criadas em torno de sua morte, como boatos de que sofria de catalepsia, doença que apresenta sintomas de uma falsa morte, e que ele teria sido enterrado vivo. Tudo foi negado na época, mas essa história ainda faz parte da crença popular.

No final dos anos 1980, uma nova tecnologia permitiu juntas as vozes de Paulo Sérgio e de seu filho, então com 12 anos. A canção escolhida foi Quero ver você feliz, música que Paulo gravou em 1975 em homenagem ao nascimento do filho. Na nova versão, lançada em 1987, o filho responde ao pai com novos versos, incluídos à letra original da canção.

Como vê-se, há muito mistérios e informações desencontradas sobre a vida, obra e morte de Paulo Sérgio. A começar pela própria data da morte: afinal, teria sido 1980, como diz o Almanaque da Música Berga? Ou foi 1981, como afirma o Dicionário Houaiss de MPB?

E essa entrevista mórbida? Se eu não tivess ouvido-a, diria que era apenas uma lenda urbana. Mas ela existe e no YouTube tem até uma videomontagem, onde imagens de Paulo Sérgio são mescladas com o áudio da tal entrevista:

Não consegui levantar em qual ano essa entrevista foi dada… Em “Não creio em mais nada”, gravada originalmente em 1970 no LP “Paulo Sérgio – Volume 4“, o cantor parece querer dizer e gritar ao mundo, em forma de música, a dor de viver sem fé… mas para muitos, a dor que ele cantava não era de alguém distante: era a própria dor dele.

Muita gente interpreta essa música como um mal presságio. Coincidência ou não, logo em seguida à sua morte, foi lançado o LP “Me ajude a morrer”, uma coletânea de músicas inéditas (como a faixa que empresta o título ao disco) e de sucessos que haviam sido lançados originalmente em compactos.

Tem quem diga que essa fama de “mau agouro” de Paulo Sérgio se estendeu à outros cantores e cantoras: quem não teria morrido, teria visto sua carreira cair no total declínio ou esquecimento. Antônio Marcos morreu em 1992 (ele participara do LP de 1988), vítima de complicações causadas por alcoolismo; e João Paulo (da dupla sertaneja, que participara da gravação do CD em 1995)  faleceu em 1997, vítima de um acidente automobilístico.

Já artistas como Angelo Máximo, Perla, Ricardo Braga, Martinha, Jerry Adriani, Marcos Roberto, João Mineiro & Marciano, Jayne, Gilliard… parecem que não tiveram o mesmo êxito de outrora, antes de terem participado das gravações. Até mesmo nomes como Chitãozinho & Xororó e Amado Batista – considerados imbatíveis – andam mal das pernas…

Terá mesmo Paulo Sérgio o poder de “amaldiçoar” alguém? Eu creio que não… aliás, afirmo isto! Paulo Sérgio fez milagres… e já conto como ele fez isso.

O milagre da tecnologia

O long-play de 1987 foi reeditado em CD em 1998

O long-play de 1987 foi reeditado em CD em 1998

Nos idos de 1987, o SBT firmava-se como a segunda maior emissora de TV do Brasil, utilizando uma programação com forte apelo popular. Talvez por esse motivo, o SBT tenha sido escolhida pela Copacabana para ser parceira no projeto da gravação de um Tributo à Paulo Sérgio, um cantor com inegável carisma e apelo ao público da emissora: um povo mais simples, que gostava de música ditas brega-românticas.

O LP em questão é o que abre este post (veja  foto no canto superior esquerdo do texto).

Até hoje eu tenho essa verdadeira raridade – realmente, não encontra-se para comprar em nenhum sebo. Na época, a Copacabana utilizou uma técnica, até então inédita: com o advento dos equipamentos digitais, eles separaram a voz de Paulo Sérgio nas masters (aqueles grandes rolos de fitas contendo as gravações originais, separadas em canais), introduzindo novas bases instrumentais e a participação especiais de artistas “amigos” do saudoso cantor.

Tal técnica – até onde eu tenho conhecimento – só teria sido utilizada anos depois, pelos norte-americanos, com a cantora Nathalie Cole, onde a mesma intepreta a música “Unforgettable” num dueto com seu falecido pai, o genial Nat King Cole. Realmente: inesquecível!

Não sei se os cantores e cantoras que participaram do trabalhos eram (ou não) amigos(as) de verdade de Paulo Sérgio. Mas, pelo menos, ao se ouvir o disco, fica claro uma coisa:  todos foram tomados pelo clima das gravações.

Isto é claramente percpetível quando se ouve o LP. E fica ainda mais evidente quando comparamos o CD  (lançado 8 anos depois, em 1995) com o disco de vinil – a diferença chega a ser gritante e irritante!

Para a gravação do CD foram convidados alguns artistas expoentes na época, como João Paulo & Daniel (João Paulo, ainda estava vivo, para se ter idéia!), Gian & Giovani, Amado Batista, Matogrosso (da dupla Matogrosso &  Mathias, que na época, estava em carreira-solo) entre outros.

Foram preservadas as participações originais (do LP de 1987) de Chitãozinho & Xororó e de Rodrigo Macedo (na época do LP, chamado de Paulo Sérgio Jr…). Mas também foram convocados ilustres desconhecidos… ou alguém sabe me dizer de onde surgiram Allan & Alladim, Regis & Rai, Henrique & Ricardo e um tal de Ramon?

O LP original – de 1987 – de longe, tem interpretações antológicas! Como estou lendo o livro do Zeca Camargo, perdoem-me se as minhas análises pessoais ficarem, digamos, um tanto… como posso dizer? “Requintadas demais”?

  • Perla (a original do Paraguai, e não, a falsificada funkeira… parece até irônico dizer “original do Paraguai”) emprestou à “Índia” (uma guarânia) sua marca pessoal: cantando a letra original em um guarani fluente, ela simplesmente arrebenta os corações de quem ouve!
  • Jair Rodrigues interpretando “Tristeza do Jeca”, foi beber da mesma fonte de inspiração quando interpretou “Disparada” (de Geraldo Vandré) nos festivais de MPB. Em certos momentos, você parece sentir a voz potente de Jair embargar-se pela emoção
  • Antônio Marcos interpretando “Última Canção”… enfim, dois ícones da música romântica cantando uma música exageradamente romântica.
  • Martinha interpretando “Pelo amor de Deus”, é algo nostálgico e sublime: a música é de sua própria composição e fora gravada por Paulo Sérgio em seu 2º LP. Vê-la cantando a própria música, contrastando com a voz de Paulo Sérgio, nos traduz a medida exata do sentimento que ela experimentou quando a compôs…
  • João Mineiro & Marciano interpretando “Eu te amo, eu te venero”, emprestou uma tonalidade sertaneja à música de Paulo Sérgio (que nada tinha a ver com o gênero). Coincidência ou não, Paulo Sérgio gravara “Amor tem que ser amor” no seu 1oº álbum… Mineiro e Marciano também gravaram a mesma música anos depois e fizeram grande sucesso com a mesma.
  • Chitãozinho & Xororó interpretando “Capela”… aqui, faço a ressalva: além do mérito dos “gogós de ouro” da dupla de canarinhos, os arranjos de Waldemiro Lemke, deram “outra cara” para a “Capela” (he he… ficou engraçado o trocadilho: a Capela… a capella). De uma marcha irritantemente chata (os arranjos originais), a música ganhou vitalidade… e um contraste de contemporaniedade. Tanto que, anos depois, ela foi mantida exatamente como foi gravada e mantém a mesma atualidade que tinha na época.

O melhor de todo o LP, está no verso da capa (ou contra-capa, como queira chamar!): encontra-se um texto de Adiel Macedo de Carvalho (pelo sobrenome, creio tratar-se algum parente do saudoso cantor) muito legal! Tão legal, que vou reproduzi-lo na íntegra:

Aos amigos e Fãs de Paulo Sérgio:

Este disco que você tem em mãos, é a maneira que a Gravadora Copacabana encontrou para homenagear a carreira artística do cantor que foi um dos grandes ídolos da juventude, e deixou grandes sucessos que são tocados nas rádios de todo Brasil (sic).

Para tanto, nós selecionamos alguns de seus grandes êxitos e convidamos doze artistas para participarem deste LP. Graças à modernos equipamentos de nossos estúdios e de várias máquinas de gravação, conseguimos separar a voz de Paulo Sérgio, utilizando novas técnicas eletrônicas e nova concepção musical.

Em seguida, entregamos ao Maesto Waldemiro Lemke (arranjador da música Feelings de Morris Albert, sucesso mundial com mais de 3.000 regravações) como também ao seu filho Maestro Sérgio Lemke, a tarefa de fazer novos arranjos musicais, usando para tanto de toda criatividade, para conciliar o tom da voz dos convidados a de Paulo Sérgio.

Isto feito, gravamos a parte da orquestra (ritmo, cordas, metais, côro e eletrônicos). Posteriormente valendo-se da voz de Paulo Sérgio como guia, os artistas em grande clima emocional, às vezes até lágrimas pelas recordações que lhes trazia (sic), somente conseguiam colocar a voz final depois de muitas tentativas.

A faixa que touxe mais emoção a todos que particparam desta realização, foi a música “Quero Ver Você Feliz”, devido ao fato de ter a partipação especial do próprio filho de Paulo Sérgio.

Vale destacar que esta música foi composta por Carlos Roberto, o parceiro mais constante de Paulo Sérgio, por ocasião do nascimentoto diflhi do cantor. Decorridos dez anos, pai e filho cantam junto pelo miagre da tecnologia.

Temos a certeza de que se pauo Sérgio aqui estivesse, ficaria emocionado e agradecido à cada um dos seus colegas que partiparam deste trabalho.

Adiel Macedo de Carvalho

Este texto é uma aula sobre como é o processo de gravação e produção de um trabalho e prova inequívoca da qualidade dos profissionais brasileiros! Por isto mesmo, ao final deste texto, transcrevemos a ficha técnica do LP de 1988, à título de curiosidade e principalmente, reconhecimento ao trabalho desses profissionais que trabalham no escuro dos estúdios (ou backstage, como preferem chamar)… e sem os quais, esse milagre (de pai e filho cantarem juntos mesmo após a morte do cantor) não seria possível!

Já o CD de 1995/1996 (??) é ruim, muito ruim. Além do que eu já disse (ou a maioria dos artistas são ilustres desconhecidos… ou então, sequer tiveram contato com o cantor ainda em vida), não é que conseguiram enfeiar algumas músicas? Isto porque, como vocês puderam ler no texto acima, os arranjos do LP foram CONCEBIDOS para aquele(a) determinado(a) artista…

Vou ficar com “Fujo de Mim”, que no CD foi interpretado por Gian & Giovani: além da música “não casar”  com a voz da dupla, enfiaram um solo de saxofone no meio da música (quando o que deveria aparecer era a orquestra de cordas!!!) feio e cafona, que não acrescentou N-A-D-A à música… será que só porque naquela época, todas as músicas de Gian e Giovani que faziam sucesso tinham sax, eles acharam que combinava? Vai saber!!!

A única dedução lógica que eu faço para que esse LP não tenha sido relançado em CD, é simples: direitos autorais. Como vocês podem constatar, muitos deles eram contratados de outras gravadoras na época. Quem não morreu ou abandonou a carreira artística, mudou de gravadora… daí entra aquela velha guerra de interesses.

Quem sai perdendo são os fãs… eu comprei o CD porque sou fã e não abro mão de ter a obra original (tanto que as fotos são de meu LP e CDs)… porém, eu admito que baixei os MP3 do LP de 1987, porque eu não tenho toca-discos…

Quer LER mais sobre Paulo Sérgio?

Quer OUVIR músicas de Paulo Sérgio?

Bibliografia Consultada:

[1]Dicionário Houaiss Ilustrado [da] música popular brasileira / Instituto Antônio Houaiss, Instituto Cultural Cravo Albin; Ricardo Cravo Albin [criação e supervisão geral] Rio de Janeiro: Ed. Paracatu, 2006, p. 684.

[2]Almanaque da Jovem Guarda; Ricargo Pugialli [criação e supervisão geral] São Paulo, Ediouro, 2006, p. 255.

[3] Almanaque da Música Brega; Antônio Carlos Cabrera. [criação e supervisão geral] São Paulo: Matrix, 2007, p. 95.

Ficha Técnica do LP de 1987:

Ao produtor Talm Scaranari, agrademos a idéia e parte da elaboração deste disco.
Produtor Fonográfico: Som Indústria e Comércio S/A
Direção Artística: Juvenal de Oliveira
Direção de Produção: Talmo Scaranari
Produção Executiva: Talmo Scaranari, Juvenal de Oliveira, Antônio Carlos de Oliveira e Délcio Fonsi
Coordenação de Lançamento: Manoel Barenbein e M.A. Galvão (Sistema Som TVS)
Arranjos e regência: Waldemiro Lemke (todas as faixas, exceto Fujo de Mim) e Sérgio Lemke (faixa Fujo de Mim)
Técnicos de Gravação: Paulo Roberto Jurazo, Getúlio Bezerra, Zé Cafi e João Campanha
Auxiliares de Estúdio: Edson, Leandro e Tonino
Técnico de Mixagem: Paulo Roberto Jurazo
Montagem: Roberto Ramos
Gravado nos estúdios: Reunidos, Haway e Dó Ré Mi
Reconstrução Técnica e Musical
Gravado e Mixado nos Estúdios Copacabana – SBC – São Paulo – Brasil

Capa
Produção Gráfica e Arte Final: Nelson E. Santos (Pincel) e Vanderlei Rodrigues

Artistas Partipantes:
LADO A:
Última Canção: Antônio Marcos
- Capela: Chitãozinho & Xororó
- Índia: Perla
- Tristeza do Jeca: Jair Rodrigues
- Minhas Qualidades, Meus Defeitos: Ricardo Braga
- Desiludido: Ângelo Máximo


LADO A:
Quero ver você feliz: Paulo Sérgio Junior (Rodrigo)
- Pelo amor de Deus: Martinha
- No dia em que parti: Jerry Adriani
- Eu te amo, eu te venero: João Mineiro & Marciano
- O amanhã espera por nós dois: Wanderley Cardoso
- Fujo de Mim: Marcos Roberto

About these ads

49 Responses to “Especial: Paulo Sérgio… o incompreendido.”


  1. 1 Cris Parron
    27 de janeiro de 2009 às 23:10

    É amigo. Fã que é fã tem LP e as versões mp3 ficam pra serem ouvidas no carro, no mp3, mp5 da vida. Meu primeiro disco ganhei aos 5 anos, e foi HELP! dos Beatles. E a banda já tinha se desfeito. Hoje, minha baixinha sabe mais de Beatles que eu. Eu tenho menos de 40 e conheço Paulo Sérgio, sabe por quê? Ahá, música é uma coisa que passa de mãe para filha. Minha mãe é fã dele, e claro eu cresci ouvindo suas canções. Mas não sou muito fã não. Segundo minha mãe, ele morreu em 1981, três dias antes do meu aniversário e meu irmão já era nascido, Meu irmão nasceu em 1980.
    Legal… minha mãe manda dizer que gostou muito do seu artigo.
    Beijo, amigo.

  2. 2 FLABIO
    28 de janeiro de 2009 às 08:12

    Esse post é das antigas…DINO mesmo kkkkkkkkkkkkkkkkkkkk

  3. 3 Ana Paula
    29 de janeiro de 2009 às 09:25

    Cara.. não sou dessa época e não teria conhecido se não fosse o seu post! Acredite se puder! Tô baixando por minha conta e risco o MP3 do LP (adoro LP’s) pra dar uma ouvida..
    Adoro essa sua capacidade de encontrar tanta coisa!
    Massa, Mazinho!

  4. 25 de abril de 2009 às 08:47

    Gostaria de saber como anda o filho do cantor Paulo Sergio, porque não deu andamento o carreira profissional de cantor já regravou a musica do pai, (meu filho deus que lhe proteja e onde quer que esteja eu rezo por você….)

  5. 9 de maio de 2009 às 20:19

    Eu fã de paulo sérgio desde pequeno. Hoje com 43 nos de idade, para mim suas músicas ainda são atuais. Roberto Carlos jamais foi o rei porque a voz de Paulo Sérgio é muito mais bonita.

  6. 6 augustinho carlos de macedo
    11 de maio de 2009 às 19:54

    é uma pena este homem ter morrido tão novo eu sou fã dele seria um mito para nós um Elves plesley Brasileiro sem Duvida.

  7. 7 Marcelo de Carvalho
    19 de maio de 2009 às 20:55

    Olá. Adiel Macedo de Carvalho era o dono da Gravadora Copacabana e meu avo.
    Não existe nenhum laço familiar com este cantor.

  8. 8 Sebastião João Mendes
    23 de julho de 2009 às 19:07

    A entrevista foi concedida ao radialista Altieris Barbiero, nos estúdios da Rádio Record, em São Paulo, uma semana antes de sua morte, em seu programa “A volta do sucesso”, em julho de 1980, onde o Paulo estava divulgando o lançamento de seu 13.º disco, lançado pela Gravadora Copacabana, que tinha fábrica em São Bernardo do Campo-SP e escritório na Rua dos Gusmões, no Bairro de Santa Ifigênia, na cidade de São Paulo.

  9. 9 FRANCISCO FETTI
    2 de agosto de 2009 às 16:14

    AMIGO VC TEM UMAS DA PAGINAS MAIS COMPLETAS SE NAO A MAIS COMPLETA PAGINA SOBRE A VIDA DESSE ASTRO SOU DE 1974 MAS PRA MIM TODAS AS MUSICAS DE PAULO SERGIO É COMO SE FOSSEM INEDITAS SOU FAN INCONDICIONAL DESSE CANTOR ,MAS GOSTARIA DE SABER QUAL ERA A POSIÇAO DE ROBERTO CARLOS FRENTE A ESSA AUTO AFIRMAÇAO DO SURGIMENTO DE UM NOVO REI DA MUSICA BRASILEIRA .AS VOZES SAO APROXIMADAS. O TIBRE VOCAL É APROXIMADO ASSIM COMO A VOZ DE RICARDO BRAGA, MAS PAULO SERGIO NAO TINHA A PROTEÇAO DA MIDIA AQUE SERVIA ASSIM COMO ROBERTO CARLOS TEM ATÉ HOJE FICA A QUESTAO SE PAULO SERGIO ESTIVESSE VIVO ESTARIA FAZENDO SUCESSO ATÉ HOJE? EXISTIRIA DOIS REIS NA MUSICA POPULAR PAULO TERIA SEU LUGAR AO SOL? O ASSUNTO É MUITO COMPLEXO SO SEI QUE AS MUSICAS DE PAULO SERGIO SAO DIFERENCIADAS, E DAO VONTANDE DE OUVIR REPETIDAMENTE, INCANSSAVELMENTE MUITO OBRIGADO POR ESSA PAGINA NA INTERNET!

  10. 10 Aleandrosjunior
    14 de agosto de 2009 às 19:42

    Se eventualmente ajudar, posso afirmar que a entrevista de Paulo Sérgio para Altieres Barbieiro ocorreu dias antes do falecimento de Paulo, ainda em Julho de 1980, durante um quadro apresentado por Altieres, no programa ” A volta do Sucesso “, levado ao ar pela Rádio Record AM de São Paulo, acompanhei o programa daquele dia.

  11. 11 Jonas
    3 de setembro de 2009 às 21:48

    Muito bom relembrar sobre esse cantor que deixou saudades!!

  12. 12 Lairton Rezende
    3 de outubro de 2009 às 17:38

    Olá pessoal!

    Sou amigo do Juvenal de Oliveira, fazem 30 anos que a gente não se fala. Favor, se possível, passar o meu email a ele. Desde já obrigada.

    Abraços.

    Lairton Rezende.

  13. 13 Flávio B.B.
    8 de novembro de 2009 às 01:45

    O TEXTO É MUITO ESCLARECEDOR E BEM ELABORADO.
    PAULO SÉRGIO DE MACEDO É UM DOS MAIORES NOMES DA MÚSICA POPULAR BRASILEIRA.
    APÓS QUASE 30 ANOS DE SUA PREMATURA MORTE, EM UM PAÍS DE MEMÓRIA MUITO CURTA, SEU TÚMULO É CADA VEZ MAIS VISITADO NO DIA DOS FINADOS POR FÃS “DE CORAÇÃO”.
    HÁ RUA COM NOME CONCEDIDO EM SUA HOMENAGEM NO BAIRRO BUTANTÃ, SÃO PAULO/SP.
    SE NÃO ME ENGANO, NO RIO DE JANEIRO TAMBÉM HÁ UMA RUA COM O NOME “PAULO SÉRGIO – CANTOR”.
    SUA VOZ É BELA.
    SEU TALENTO TRANSCENDE A MORTE.
    SUA BRILHANTE OBRA SERÁ ETERNA E AMADA POR AQUELES QUE APRECIAM A ARTE DA MÚSICA.
    DESCANSE EM PAZ QUERIDO ÍDOLO.

  14. 14 raquel
    20 de novembro de 2009 às 20:37

    esse sem dúvida era um dos maiores,se não o maior, da musica brasileira, com uma voz inigualável, uma carreira linda ,letras tristes e um espírito de artista, sou fã desse poeta da nossa mpb…um abraço!

  15. 15 auxiliadora
    6 de dezembro de 2009 às 14:23

    paulo sergio que Deus de o descanço eterno te amo

  16. 16 Harlei Cursino Vieira
    18 de dezembro de 2009 às 20:44

    Paulo Sérgio (1944-1980) foi um grande cantor, só superado por Roberto Carlos e vendeu 8 milhões de discos!

  17. 17 Harlei Cursino Vieira
    18 de dezembro de 2009 às 20:51

    Eu sou meio frustrado em minha vida sentimental e acabo me identificando muito com as músicas do Paulo Sérgio!!

  18. 4 de janeiro de 2010 às 17:29

    fico feliz em ver a linda homenagem que prestas a esse espetacular cantor,para mim,o me
    lhor de seu tempo.tinha 19 anos quando ele se foi,e passei muitos anos sem escutar suas
    lindas cancoes.De algum tempo para ca,comecei a lembrar de EU TE AMO,EU TE VENERO,e a
    emocao foi fuminante.agora ja tenho varios cds e sempre busco saber algo sobre ele.
    paulo sergio foi um cantor arrebatado,espetacular,que ia direto ao coracao quando falava
    de amor.estava a frente de seu tempo,com esse maestro monstro chamado valdemiro lemke.
    ainda hoje choro de saudades,e quanto mais eu escuto,mais eu amo a sua obra
    PAULO SERGIO PARA SEMPRE NO MEU CORACAO E NO DE MILHOES DE BRASILEIROS !

  19. 19 Edna
    4 de janeiro de 2010 às 17:53

    UAU !!! Esse site é perfeito para que amou tanto Paulo Sérgio.
    Obrigada por esse carinho.
    Fiquei muito impressionada com o relato de que ele teria morrido de catalepia -falsa morte-(foi provado que não foi?), pois esses dias (dez/2009) sonhei que tinha ido ao seu velório e ele estava vivo.
    Saudade muito grande.

  20. 6 de janeiro de 2010 às 17:51

    o que me deixa mais triste na vida sao as injusticas.alguem que e tido e chamado de rei,
    como o caso de roberto carlos,deveria agir como tal e no caso,que eu saiba,ele nunca con
    vidou paulo sergio para participar de seu programa chato de final de ano. nunca veio a publico dizer que paulo sergio nunca foi seu imitador e sim um grande cantor.
    foi o unico a fazer o tal rei e sua gravadora tremerem nas bases.tentaram e conseguiram
    mata-lo de desgosto,contrariado e perseguido ate o fim.tenho muita magoa de roberto carlos,apesar de ser um grande cantor a artista,mas sem duvida heveria vaga para dois reis,e ate para outros reis,pois essa geracao teve otimos cantores.
    nao adianta tentar esquecer paulo sergio,pois ele e simplesmente inesquecivel !
    jamais morrera,pois estrelas como ele,astros de imensa grandeza nunca morrem.
    assim como o sol,vive para nos aquecer,e assim como a lua,para nos dizer que os sonhos
    existem e precisam ser vividos.PAULO SERGIO,NOS AMAMOS VOCE !

  21. 21 ELIZANDRA MARIA TORRES DE ARAUJO
    22 de janeiro de 2010 às 19:49

    PAULO SERGIO FOI E CONTINUARÁ SENDO O MELHOR,QUANTO A ROBERTO CARLOS, EXISTE UM LUGAR PARA TODOS, DESDE DE QUE TENHAM TALENTO E ISSO OS DOIS TEM DE SOBRA.ELIZANDRA

  22. 22 Paulo Sergio Nogueira
    2 de maio de 2010 às 23:33

    Sem dúvida alguma, Paulo Sérgio foi e será sempre um cantor fenomenal. Um dia será reconhecido como merece, pois ninguém pode ignorar que ele vive na memória e no coração de milhões de fãs por todo o Brasil.

  23. 23 manoel messias souza silva
    8 de agosto de 2010 às 21:43

    oi eu manoel tenho 21 anos e sou fa de paulo sergio um dos maiores cantores que esse pais ja teve eu video raridades dele gosto grandes sucesso dele eu nao ligo minhas qualidades,amanha ,etc

  24. 24 Francisco de Assis
    26 de agosto de 2010 às 13:23

    Talvez o jornalista e historiador Paulo César de Araújo tenha sido quem melhor descreveu Paulo Sérgio. No seu primeiro livro intitulado “Eu Não Sou Cachorro Não” ele ressalta o que nossos historiadores musicais fingem ignorar: Paulo Sérgio (e não Roberto Carlos) foi o verdadeiro precursor da geração romântica pós-jovem guarda que contou com nomes como Fernando Mendes, José Augusto, Luís Carlos Magno, Odair José, Dino Rossi, Gilberto Reis (que a revista veja classificou como imitador de Paulo Sérgio) e outros.

  25. 25 Francisco de Assis
    26 de agosto de 2010 às 13:27

    “Ele surgiu sob o signo da mudança. 1968. Ano de de protestos estudantis e de guerrilhas urbanas por todo o país. O movimento Jovem guarda chegava ao seus dias finais.
    O grande sucesso alcançado já no seu primeiro LP, o colocou no olho do furacão. Taxado pela imprensa, rádio e televisão de imitador de Roberto Carlos, ele não se abalou. Seguiu em frente, com o seu olhar tristonho e seu sorriso tímido, se auto-revestindo de muita personalidade para enfrentar o turbilhão de acusações que estava por vir.

    Sua resposta às críticas, vieram, em forma de canções: “No Dia Em Que Parti”, “Pro Diabo Os Conselhos De Vocês”, “Última Canção”. Virou fenômeno de vendagens. Ainda no final de 68, veio o segundo LP, ainda mais coroado de sucessos: “Pelo Amor De Deus”, “Distância Ingrata”, “Veja”, “Não Fico Aqui”, “Não Brinque Comigo(Tanta Maldade)”.

    Paulo Sérgio indicou novos caminhos para a canção romântica. tornou-se o precursor de uma nova geração de cantores surgidos sob as cinzas da Jovem Guarda. Nelson Ned, Marcus Pitter, Ângelo Máximo, Gilberto Reis, Fernando Mendes, Odair José, todos vieram no rastro de Paulo Sérgio. É claro, todos estes cantores tinham uma grande admiração pelo Rei Roberto, porém, o estilo de música que desenvolveram tem muito mais a ver com a música que Paulo Sérgio mostrou ao mundo. Foi ele quem pavimentou a estrada por onde todos estes artistas e muitos outros passaram.
    O sucessos estrondoso do segundo LP causou um grande impacto na música romântica brasileira, que fez com que o seu maior “rival” intitulasse o seu novo disco de “O Inimitável”.
    Fã incondicional de Anísio Silva, Altemar Dutra, Sílvio Caldas e Elvis Presley, Paulo Sérgio é fruto direto desta mistura musical e também da herança portuguesa advinda dos cantos tristes do fado e dos menestréis campestres da terra-mãe.

    As composições e também as canções de outros autores que gravou, formam um conjunto de temas tristes e de abandono que refletem toda a amargura e sofrimento diante das desilusões da vida. Na voz e no som de Paulo Sérgio, estes temas ganham um novo revestimento, uma nova textura moderna, baseada na sonoridade pop dos anos 60 e 70.

    A obra de Paulo Sérgio, ao mesmo tempo em que resgata esta tristeza secular do povo luso-brasileiro e a revste de elmentos modernos, também reforça esta temática através de uma interpretação forte. Mesmo em versos simples, prevalece a personalidade do cantor que imprime sentimento às suas canções, contagiando assim, o público ouvinte.

    Os temas são diretos, simples e de fácil compreensão. Assim é a música de paulo Sérgio e da geração de cantores que vieram depois dele.

    A grande riqueza da sua música está na simplicidade. Na voz , no coração e na alma.

    Foi utilizando estes sentimentos vindos do fundo da alma, que Paulo Sérgio construiu um legado impressionante, sua obra até hoje, carece de um estudo mais aprofundado, porém, sua marca já está impressa para as futuras gerações.”

    (Rubens Stone)

  26. 29 de setembro de 2010 às 13:21

    eu amo a musica para sempre e. quando meu pai vai viajar eu coloco ela para ouvir eu tenho medo de perde ele.

  27. 29 de setembro de 2010 às 13:23

    e estou ouvindo ela agora eu tenho muito medo de perde ele na estrada.

  28. 28 José Emanuel
    9 de novembro de 2010 às 18:20

    E ae Brother blz? Cara como a Cris eu tb aprendi a gostar através de meu pai, tb sou 81 como ela, mas tb ao contrário dela sou fã incondicional. Não tenho o tal LP de 1987. Mas tenho toda a coleção de LP´s intactos, novos com saco de proteção e tudo, os únicos que não estão tão bons são as Seleções de Ouro (azul e Vermelha), aliás só a azul que num tá tão boa. Quanto ao aparelho pra tocar, no Mercado Livre é o que mais tem e USB, dá até pra gravar do LP´s para o Computador direto. Eu fiz isso com todos os meus LP´s. Tenho Tb o 01, 02,03, 04, as melhores dos 4, o 10, 11, 12,13 em CD, mas o CD BIS, e a seleção de ouro vermelha, tudo em CD, mas é muito difícil de achar pra comprar. Cara um forte abraço, vc está de Parabéns pela página. Meu e-mail é santossousa.s2@gmail.com, qualquer coisa entra em contato para trocas de experiências. Um abraço!!

  29. 11 de novembro de 2010 às 20:17

    Olá boa noite ! estou visitando seu blog e vi muitas coisas sobre Paulo sérgio , muito prazer eu sou Suely coutinho ex paulete e bailarina de Paulo Sérgio que estive até o ultimo dia de sua vida , e presenciei a sua morte ,quero exclarecer que Paulo não tomava remedio para depressão , e não tinha depressão ,a unica coisa que Paulo fazia era beber conhaque um pouco a mais ,pelo que sei o unico remedio que Paulo tomava era remedios para dores de cabeça devido a ressaca …
    Por ultimo ele andava muito feliz ,quero dizer tambem que Paulo nunca operou sua garganta ,ele tinha sim muitas dores na garganta ,quero deixar bem claro que Paulo nunca se incomodou com Roberto Carlos ,pois como ele sempre dizia :Paulo é Paulo o resto é bico…
    Boa noite e muito obrigada pelo espaço Suely Coutinho Paulete (a índia)

  30. 30 David Nascimento Cruz
    23 de abril de 2011 às 20:45

    Boa noite, pelo que me lembro na época a música “ULTIMA CANÇÃO” , foi desputada em primeiro lugar juntamente com a música de Roberto Carlos “EU TE AMO, TE AMO , TE AMO” do LP “inimitável…

  31. 31 David Nascimento Cruz
    23 de abril de 2011 às 20:51

    UMA CURIOSIDADE INTERESSANTE!!!

    Curiosidade: Paulo Sérgio x Agnaldo Timóteo
    Disfolhando uma revista de 1981 publicada pelo departamento de imprensa da Copacabana, para lembrar o primeiro aniversário da morte de Paulo Sérgio, achei um depoimento interessante de Renato Gaetani, o responsável pelo começo de sua carreira:

    “Em 1967, já ligado ao mundo do disco, o empresário Renato Gaetani fundava uma etiqueta que viria a revelar alguns nomes famosos na música popular brasieira…
    E Ranato Gaetani prossegue:

    – O rapaz que o Massa havia me trazido era fraco. Não sei como, tempos depois, ele chegou a gravar por outra etiqueta, pois desafinava a todo momento, não tinha voz bonita nem imagem de cantor. Mas há fatos inexplicáveis na vida da gente. Por um desencontro deixei de lançar o excelente Agnaldo Timóteo na carreira artística. E por um feliz encontro lancei Paulo Sérgio. ”

    por favor, comentem…..
    9 abr
    excluir
    david
    http://www.4shared.com/account/file/151964780/c7b21e31/Agnaldo_Timteo_disputa_tsete_de_gravadora_com_Paulo_Srgio.html?sId=eWGW4hJxu2lQy4z7

  32. 32 CARLITO MARQUES
    26 de junho de 2011 às 09:28

    SOU FAN DESSE CARA CHAMADO DE PAULO SERGIO, REALMENTE ELE FOI FORMIDÁVEL,
    E NÃO SE COMPARA COM AQUELE AQUELE CARA CHAMADO DE REI. PAULO SERGIO ERA
    MAIS POPULAR. GRATO CARLITO MARQUES.

  33. 33 José Emanuel Santos Sousa
    28 de julho de 2011 às 22:28

    Ei Brother tenho somente 30 anos e tenho a coleção em LP e CD do Paulo Sérgio, tenho “leitor” de LP, comecei a ouvir em 1986 aos 5 anos com meu pai que tb é muito fã dele, hoje sou mais fã que meu pai. A propósito amanhã dia 29 de julho de 2011 às 18:00 faz 31 anos da morte de Paulo Sérgio, ele morreu em 1980. A entrevista a respeito do medo de morrer foi gravada 12 dias antes do seu último show. Quanto ao Adiel Macedo de Carvalho era um dos donos da gravadora Copacabana. DAVID NASCIMENTO CRUZ quanto ao seu post esse tal de Renato Gaetani tava falando de quem, quando falou fraco e que desafinava? Acho muito difícil de ser Paulo Sérgio e Agnaldo Timóteo, pois ambos têm vozes potentíssimas e ótima afinação. Aliás quem tinha problemas de afinação era o Roberto Carlos, que gravava com microfones moderníssimos à época, tinha a poderosíssima CBS ao seu lado por isso é o que é senão…
    Paulo Sérgio era tão profissional no estúdio que muitas vezes gravava a faixa em tomada só, seu produtor musical relatava que muitas vezes ele gravava um albúm inteiro (13 faixas em média) em menos de 2 horas.
    Gostaria que esclarecesse a história.

  34. 3 de outubro de 2011 às 19:43

    PAULO SERGIO PARA MIM FOI UM PROFESSOR QUE MOSTROU A TODOS COMO SE CANTA INCLUSIVE ENSINOU ATE ROBERTO CARLOS A CANTAR ESSA HISTORIA DE DIZER QUE PAULO IMITAVA ROBERTO PRA MIM NAO COLA EU ACHO ROBERTO CARLOS UM CANTOR CHADO E QUE JA MERECIA MORRER

  35. 35 JOI CARVALHO
    15 de dezembro de 2011 às 16:51

    Olá, cresci vendo meu pai escutar Paulo Sergio e tbm Roberto Carlos,curto tbm qd estou com meu pai,mas ele nunca tinha falado comigo sobre ser rivais,sempre comentava a morte por catalepsia e sempre reverenciava que isso sim que foi cantor e que não se fazem mais hoje!Parabéns pelo acervo!!!!

  36. 36 marcia maria dos Reis
    29 de dezembro de 2011 às 22:21

    Se Paulo Sergio morreu de um AVC depois que conversou com essa fã vai saber se ela não tacou uma beita de uma macumba nele coitado é o que tá arecendo pois ele era muito jovem para tre um AVC

  37. 37 carlos almir
    19 de janeiro de 2012 às 18:08

    também sou muito fã de Paulo Sérgio,e fico feliz pelo post dedicado ao maior cantor romântico do brasil.um grande abraço!

  38. 38 marinete
    21 de março de 2012 às 14:43

    AMO O PAULO SERGIO DE PAIXÃO,SUAS CANÇÕES QUE TOCAM OS CORAÇÕES DOS APAIXONADOS ARRASAM COM 0 MEU!!!!!TIVE A FELICIDADE DE CONHECER PESSOALMENTE E CURTIR VÁRIOS SHWOS ATRAVÉS DE CARAVANA DE RADIOS,ANTIGAMENTE SE FAZIA MUITO ISSO HOJE NEM TANTO.ONDE QUER QUE ESTEJA NÃO SE ESQUEÇA QUE TEM MUITOS CORAÇÕES DESOLADOS AQUI COM SUA AUSÊNCIA COMO É PARA SEU CRESCIMENTO FAREMOS ISSO COM MUITA TRANQUILIDADE,APENAS LEMBRANDO DE SUAS MÚSICAS!!!!!!TIVE UM SONHO COM ELE UM DIA E ME DISSE TODO VESTIDO DE BRANCO QUE ESTAVA MUITO BEM E MELHOR DO AQUI QUE AO LADO DELE TINHA QUEM MAIS AMAVA OS PAIS!!!!!!!!

  39. 21 de abril de 2012 às 13:11

    bom dia ,gente eu fiquei assustada ,com a publicação,de que paulo sergio traz mal agoro,não diga isso não gente,paulo era um homem temperamental mas muito bom ,quando trabalhaei com paulo sergio eu tinha 19 anos,e graças a deus estou vive ,e se fosse assim ,a raquel telles eugenio macedo estaria morta ,pois ela era a pessoa que paulo mais odiava,gente mas o filho de paulo rodrigo esta muito mal com uma doença incuravel, beijos no coração de todos fãs meus e de paulo sergio suely coutinho paulete [a india de paulo]

  40. 18 de junho de 2012 às 19:59

    o que tenho a dizer é. Paulo Sérgio nunca se importou em falarem que ele imitava Roberto Carlos …Pois ele mesmo sabia que ele era Paulo e Paulo ponto…..sua última aparição foi no Bolinha após sair para fazer outro show ñ conseguiu e foi internando no Hospital São Paulo onde veio a faleçer Paulo Sérgio tinha seu tempo a cumprir como todos nós aqui nesta terra …fez o que mais gostava cantar ..em momento algum eu pude ouvir Paulo Sérgio com rancor do Roberto e nem Roberto contra Paulo Sérgio isso é boatos quem fala tudo isso era o próprio povo ..Só quero dizer fã de Paulo Sérgio e sou até hoje para min é e sempre será o melhor cantor mpb..bjs

  41. 5 de outubro de 2012 às 10:19

    Olá teamajormar . Paulo Sérgio não foi apenas incompriendido , mas até hoje está sendo injustiçado . Não se encontra nehum video dele em lugar nenhum , mesmo tendo feito tantos programas de TV como fez . Me desculpe discordar de voce quando diz , que após seu falecimento foi lançado o LP por favor me ajude a morrer . Esse disco foi lançado em 1970 , na mesma época em que diziam ele ter engravidado aquela menina de menor . Eu tenho 15 LPs , mas você diz que ele fez 16 . Gostaria de saber qual é esse LP e onde encontra-lo . Obrigado por essa matéria tão linda que produziu.

  42. 42 ALice knupp
    31 de julho de 2013 às 23:24

    Adorei saber mais sobre a vida desse cantor maravilhoso, pena que DEUS quis levar ele cedo demais, mas la em cima ele ta cantando p tds .

  43. 43 marineteleal
    2 de agosto de 2013 às 20:19

    Paulo Sérgio morreu com 36 anos. Nasceu em 10 de março de 1944 e faleceu em 29 de julho de 1980 as 20.30
    anunciaram oficialmente sua morte!!!!!

  44. 9 de agosto de 2013 às 10:27

    eu tinha 04 anos ,infelismente meu pai faleceu , tenho uma leve lembraça dele na rodoviaria de campo mourão parana , ele me dispedindo de mim me, puxando e pedindo pr minha mãe não me levar ele chorava muito , mais minha mãe gritau tambem pr nos guarda , ele quer roubar meu filho ,então entrei no onibus , e fiquei com esta lembrança isso foi 1983 dia 04 de dezembro no dia do meu anivesari ,depois de quatro dias meu pai faleceu , já eu adulto com 18 anos eu sonhei com meu pai eu me falava adoro ver vc sorrindo , isto ficou marcante eu sempre fui na adolesencia ,muito conturbarda um adolecente rebeude e aduto tambem usava todo tipo de droga , mais esta musica nunca saiu da minha cabeça .hoje estou sobrio com 33 anos e adoro esta canção não sou espirita mais gosto de pensar que ele me ve todo tempo . obrigado paulo sergio por esta linda canção me conforta a levar a vida em frente.

  45. 15 de novembro de 2013 às 08:41

    Paulo Sergio, sempre será o melhor cantor do Brasil. Herbeth

  46. 46 marineteleal
    21 de dezembro de 2013 às 17:58

    o video no qual ele foi entrevistado pelo Altieres querendo saber se ele tinha medo da moça que o levou foi feita 17 dias antes de sua partida

  47. 47 Maurileno Rodrigues
    6 de janeiro de 2014 às 12:42

    Eu sou o Maurileno Rodrigues, autor de BENZINHO, e, parceiro de Paulo Sergio em dezenas de canções, o acompanhei desde o teste (por acaso) na gravadora Caravele. Simplificando, quero apenas dizer que existe muita coisa errada nas publicações, quempretender saber as verdades, pode escrever para o meu site maurilenoadvg@oi.com.br, que terei imenso prazer em responder

  48. 48 Luis Suster
    7 de fevereiro de 2014 às 01:36

    Meus parabéns pelo texto. Extremamente esclarecedor a todos os fãs do inimitável e imortal Paulo Sérgio. Quanto à biografia, siga em frente. Já pensei em iniciar uma também, ele merece um filme biográfico!


Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s


Pessoas já leram MZN News:

  • 291,582 hits

SOS Nordeste

Categorias de Matérias

Quer procurar alguma coisa no Blog?

Digite no campo abaixo palavras chaves (tags) para encontrar nas matérias já publicadas

Arquivos

Expediente

Editor e Articulista:
Mazinho Almeida
Colaboradoras:
Fládima Christofari (Campo Grande -MS)
Helen Mariana (Curitiba-PR)
Cartas à Redação:
Para corresponder com nosso blog, além dos comentários, envie e-mail para o endereço mznnews.redacao@gmail.com

Seguir

Obtenha todo post novo entregue na sua caixa de entrada.

%d blogueiros gostam disto: