25
set
09

Drops – Catolicismo Pop, Satãnismo Cristão e Homofobia Ambiental

Antes das saraivadas de críticas indignadas, vou logo explicando: o título é uma troça com três notícias que me chamaram a atenção na quinta-feira, dia 24.09.2009. Vamos a elas:

Catolicismo Pop

Da coluna “Flávio Ricco” (UOL), a seguinte notícia:

Ausência notada

Um dos nomes que mais vendem CDs no País e sempre na mira dos programas de TV, o padre Fábio de Mello, curiosamente, não vai concorrer ao Grammy Latino 2009. A sua ausência na categoria “Religiosos” causa estranheza no meio.

Em tempo, são esses os artistas que irão disputar o prêmio: Regis Danese, Marina de Oliveira, Jozyanne, banda Oficina G3 e André Valadão, indicados por produtores, artistas e maestros.

Comentário:  Data vênia, o ilustre Flávio Ricco (do qual sou profundo admirador), parece que tropeçou em suas palavras:

1. O critério de escolha dos indicados não é apenas, meramente, “mercadológico” (leia-se: jabá!). Se fosse assim, Calypso e MC Créu teriam arrematados várias estatuetas!

2. Na categoria “Gospel”, recém-criada, o único artista católico indicado até hoje ao Grammy Latino foi o cantor “Alexandre Soul”. Merecidamente: fele canta muito bem (apesar de preferi-lo cantando heavy metal, como no tempo em que era do “Eterna”) e a produção musical foi impecável (arranjos/mixagem/masterização);

3. Por derradeiro, já disse: Fábio de Melo, conquanto cantor, é um ótimo Padre.  E também, compositor. E fiquemos apenas nisso. Deve ser creditado “o seu sucesso” à mídia, pela sua aparência, por sua capacidade de pregação (que mistura auto-ajuda e espiritualidade carismática) e por seu carisma pessoal. Como escritor, ele é prolixo e profundo demais; como cantor, é desafinado e não tem expressão vocal (voz anasalada).

Enfim, as indicações ao Grammy foram merecidas! Porém, se é pra se protestar pela inclusão de um “representante católico”, fica aqui registrado o protesto pela ausência do grupo “Rosa de Saron”, cujo DVD Acústico, caiu no gosto da galera jovem e tem sido executada com muito mais frequência nas FMs do que o Padre Fábio.

Satãnismo Cristão?

Do canal de Notícias do UOL (Últimas Notícias):

Ladrão de igreja se arrepende por roubar hóstias

Ribeirão Preto – Um estudante de 21 anos disse que está arrependido e confessou ter roubado as hóstias e pichado a expressão “salve Lúcifer” na Igreja São João Batista, em Orlândia, na região de Ribeirão Preto (SP), dia 16. O estudante disse ter cometido o crime em companhia do primo, de 16 anos. A dupla furtou cerca de mil hóstias, o vinho utilizado nas celebrações e uma mesa de som. Depois, abriram o reservatório de ouro do Santíssimo e pegaram outras dezenas de hóstias consagradas que, para os católicos, representam o Corpo de Cristo. O estudante disse que as comeu porque estava com fome. Ele pediu perdão ao padre e foi perdoado, mas será indiciado por furto pela Polícia Civil.

Conclusão Teológico-Sinestésica: Deus é Justo, mas sua Misericórdia é Infinita. Aquele que se arrepende, em espírito e em verdade, é perdoado, porque Deus é amor. Mas eu (Jesus) não vim para mudar a Lei dos homens, mas sim, para justificá-las. Não há poder algum em você que não tenha sido concecida por meu Pai. Dai à Cesar o que é de César, e a Deus, o que é Deus.

Conclusão Prática: para um Sacrilégio, existe perdão! Mas o crime, definitivamente, não compensa!

Concruzão curintiana: Perdeu playboy, a casa caiu pro teu lado. Bandido é bandido, e mané é mané!

Homofobia Ambiental:

Da coluna de Política, do Portal G1:

Resumindo a história…

Terça-Feira (22.09)

“(Minc) é um veado e fumador de maconha! (…) Porque senão eu o alcançaria e ele seria estuprado em praça pública” (ao saber que o ministro não participaria da Meia Maratona do Pantanal).
André Puccinelli,
em tom irônico e informal,
durante reunião com empresários.

“Ele (Puccinelli) é um truculento ambiental que quer destruir o Pantanal com a plantação de cana-de-açúcar (…) A declaração revela o caráter dele”.
Carlos Minc,
horas mais tarde,
em resposta à André.

“Ao ser questionado por empresários do setor da indústria e comércio sobre a questão da proibição do plantio de cana-de-açúcar na região da Bacia Hidrográfica do Alto Paraguai, hoje (22) durante reunião em seu gabinete, o governador André Puccinelli fez referências, em tom de brincadeira, a outras críticas recebidas pelo ministro do Meio Ambiente, Carlos Minc”

Nota Oficial da Assessoria de Imprensa,
horas depois da réplica de Minc.

Quarta-Feira (23.09)

“Estou estupefato!”

“Acho que ele deve reexaminar o que disse sobre o estupro em praça pública,
e tratar com mais carinho o homossexualismo que existe dentro dele próprio
e talvez aceitar isso com mais razoabilidade”

“Ele (Puccinelli) que fique à vontade,que ele pode sair do armário,
que nós defendemos todos os homossexuais, assumidos ou enrustidos.”

“Ele (Puccinelli) surtou!”

Carlos Minc,
em clima de day-after,
em diversas declarações, ao longo do dia.

Quinta-Feira (24.09)

“Ele (Minc) não deveria responder ao governador na mesma moeda.”

Marina Silva,
Senadora (PV/AC), ex-Ministra do Meio Ambiente
e Presidenciável,  omentando as respostas de Minc, sobre o episódio.

“Eu não acho que eu respondi na mesma moeda de forma alguma. Quando ele usou as expressões em relação a mim, usou para me ofender. E mais:  disse que ia cometer um crime.
De me estruprar em praça pública.”

Carlos Minc,
Ministro do Meio Ambiente 

Comentário para Minc:

1. Ministro, não foi por acaso o Sr. que chamou os produtores rurais de “vigaristas”?  [leia aqui]

2. Ministro, o senhor é ou não é “maconheiro”? [veja aqui]

3. Ministro: lends picantis in anus autrem, Ki Sucus est? [Falcão… não, o do Rappa! E sim, o do Brega!]

Comentários sobre Puccinelli:

1.  Puccinelli teve que “chupar manga”, depois que Cuiabá foi eleita Sede da Copa 2014 [leia aqui]

2. Puccinelli chamou Ari Artuzzi (ex-Deputado Estadual e atual Prefeito de Dourados/MS) de “animal de pelo curto” [leia aqui]

3. Puccinelli não esperava achar alguém à Sua Altura!

Saiam de perto. Esse combate promete…

15
set
09

MZN News na Revista ÉPOCA

cartaepoca

05
set
09

Videos – A intimidade exposta na internet

Recebi esse vídeo num e-mail, onde o remetente tinha a intenção óbvia de fazer um escárnio acerca de pessoas que têm sua intimidade expostas na Internet.

Mas o vídeo, conseguiu de forma simples e explêndida, sintetizar uma velha máxima que diz, mais ou menos, o seguinte: “a intimidade moral é um travesseiro de penas, que uma vez rasgado do alto da Torre, terá suas penas espalhadas ao vento… pode-se recolher uma boa parte delas, mas sempre faltará algumas das penas…“.

No caso da internet, a questão é mais delicada:  celebridades (artistas e famosos), de certa forma, quando vêm suas intimidades reveladas através das lentes de paparazzi‘s, sabem lidar com tal situação (ou pelo menos, supõem-se que saibam!).

Porém, a questão ganha contornos mais dramáticos quando, quem tem sua intimidade revelada para todo o mundo através de fotos  e vídeos, não trata-se de ninguém notório, mas sim, um simples anônimo.

Semana passada, mais um caso envolvendo um “anônimo” ganhou as manchetes nacionais: uma professora baiana, que dava aula para crianças do ensino fundamental, foi demitida de uma escola particular, por ter sido filmada em um palco, dançando coreografias sexuais e expondo suas ancas para o público presente ao “show” (se podemos chamar isso de show!).

Deixando de lado a polêmica — foi correto ou não a decisão da Escola? — o fato é que este não foi o primeiro, nem será o último caso dessa natureza. Desde que a internet deixou de ser uma “realidade virtual”, se tornando presente no cotidiano das pessoas, muita coisa mudou.

E a intimidade das pessoas, mais do que nunca, têm sido constantemente violadas. Praticamente, em todos os lugares, existem câmeras filmando: nos Bancos, nos Supermercados, na Portaria do Prédio, nos Cruzamento de ruas e avenidas… enfim, em quase todos os lugares.

Já na internet, uma regra que é válida desde os tempos mais remotos: tudo que se faz deixa rastros. E na época em que Googles vasculham a terra “via satélite” (Google Earth), mostram ruas e casas “ao vivo” (Google Street) e monitoram pessoas “via GPS” (Google Latitude), a pergunta que se faz é: qual é o preço da privacidade?

Quando a humanidade começou a engatinhar nos meios de telecomunicações, surgiram diversas comunidades de pessoas que se isolaram do mundo para viverem “como antigamente”, em vilarejos desprovidos de todo “luxo e conforto” proporcionado pela modernidade, muitos chamaram-os de “loucos”. Será que os loucos são eles ou somos nós?

Hoje em dia, cada vez mais eu vejo que a ficção de George Orwell e seu “Grande Irmão” ganha contornos de realidade. E se hoje, praticamente todos nós somos monitorados — em maior ou menor grau — que motivos levam pessoas a se deixarem fotografar ou filmar em situações comprometedoras, de forma voluntária e expontânea?

Será que as pessoas ainda não se deram conta de que, um vídeo ou foto armazenados num celular ou notebook — que podem ser roubados ou extraviados, certo? — podem cair nas mãos de pessoas sem qualquer pingo de consciência e piedade, e daí, caírem na rede?

Minha avó — Deus a tenha em bom lugar — que não viveu para ver tudo isso, sempre me dizia: o seguro, morreu de velho. Confesso que eu não entendia muito bem, naquela época, esse conselho. Mas hoje em dia, faz todo sentido para mim.

17
ago
09

Editorial: Bispo Macedo versus Globo

Esta semana — coincidentemente ou não — as notícias sobre José Sarney e as falcatruas no Senado Federal foram sufocadas por outra notíciao Ministério Público apresentou nova denúncia na Justiça contra Edir Macedo e diversas pessoas ligadas ao Bispo e à Igreja Universal do Reino de Deus.

Se há “algum dedo” nessa história — ao contrário do que tem vosciferado a Record, ecoando as palavras de seu Chefe-Mor — provavelmente não é da Globo. Num exercício de teoria conspiratórias, há vários “mordomos” que podem ser culpados por essa história.

Ao longo desses 15 anos, Edir Macedo e seus fiéis escudeiros, colecionaram vitórias — mas, principalmente, muitos inimigos.

Mas ao contrário do que os noticários da Record querem fazer crer, não é a Globo a responsável por essa nova denúncia. Quem estaria por trás disso, então? Não cabe a nós supor ou conjecturar…

Temos que nos centrar em fatos: o Ministério Público do Estado de São Paulo (MP-SP), ao apresentar denúncia à Justiça Paulistana, está cumprindo com seu papel constitucional, de tutelar e proteger os direitos e interesses difusos.

O “Repórter Record” deste domingo, serviu exclusivamente, para defender os interesses de Edir Macedo e da Igreja Universal. Mas, afinal, é possível fazer uma separação entre “Edir Macedo”, “IURD” e “TV Record”?

Uma rápida olhadela no site UOL (coluna Ooops, do jornalista Ricardo Feltrin) podemos constatar que, quando pessoas processam a TV Record por terem sua imagem explorada no programa “Fala que eu te escuto”, a resposta da emissora é sempre a mesma: o programa é produzido pela Igreja Universal, que aluga os horários da madrugada na emissora de Edir Macedo. Sendo assim, a Record não tem qualquer responsabilidade (civil ou criminal) sobre o conteúdo veiculado nesse programa.

Mas, no noticiário da TV Record, por diversas vezes, é praxe ataques contra “inimigos” da IURD — e consequentemente, de Edir Macedo — especialmente, a Igreja Católica e a família Marinho. Até aqui, tudo bem: vivemos num regime democrático de direito, em que qualquer pessoa tem o direito de expressar sua opinião…

As denúncias contra a IURD e a Record não são recentes… Já faz algum tempo que as emissoras “comerciais” reclamam do preço pago pela Universal à Record pela locação do horário. Diversas revistas e jornais já trataram desse tema, especulando-se que a “compra de horário é superfaturada” em relação ao “preço de mercado” e que isso, caracterizaria, “transferência de recursos da Igreja para a TV”. Transferência esta — frise-se aqui — perfeitamente legal.

Porém, neste ponto, o primeiro argumento de defesa de Macedo/IURD/Record de que a denúncia do MP/SP seria uma ação orquestrada pela TV Globo não procede! Como vimos, outros canais abertos, como o SBT e BAND, por exemplo, teriam muito mais interesse em investigar e “repercutir” notícias à esse respeito.

Vamos ao segundo argumento apresentado pela Record: a juíza que recebeu a ação seria “impedida” , por lei, para conhecer a denúncia, pois seria ex-esposa de um dos Promotores de Justiça que subscreveram a Denúncia.

Realmente, se tal fato restar-se provado, estaremos diante do fenômeno jurídico conhecido como “Suspeição e/ou Impedimento do Juízo”. Mas, entre os vários “ilustres juristas” convidados à opinarem sobre o fato, encontrava-se o professor Luis Flávio Gomes.

Prof. Luiz até ano passado, era o proprietário do “Instituto LFV” (as iniciais de seu nome), a maior franquia de cursos prepatatórios para Concursos Públicos, que destaca-se principalmente, no ensino à distância (ou teletransmissão).

O curioso, porém, é que o LFG foi comprado, em 2008, pelo Grupo Educacional Anhanguera. Há fortes rumores que, a “Anhanguera”, teria como principais acionistas, Macedo e membros da Alta Cúpula da Igreja Universal.

Ou seja: a Record não pode se pautar em “opiniões técnicas” de pessoas que mantêm com a pessoa do Bispo ou da Emissora, alguma relação de interesse.

Falta ainda avaliar, se há fundamento ou não, nos fatos narrados na denúncia do MP-SP e cujo advogado de defesa de Edir Macedo, dr. Arthur Lavigne, insiste em dizer:

Repita-se, o Ministério Público quer colocar estas pessoas como réus, novamente, em procedimento devidamente arquivado pela Corte Suprema do nosso país – o STF, a última instância, ou seja, eles investigarão fatos já decididos em definitivo.

E, pasmem! O mesmo Ministério Público que pediu o arquivamento, agora quer investigar tudo de novo; nem os próprios membros desta Instituição se entendem

A acusação do momento nada mais é do que a repetição dos mesmos fatos que o Supremo Tribunal Federal arquivou. Ela mais uma vez revolve fato ocorrido em 1992, quando alguns religiosos ligados à Igreja obtiveram empréstimo no exterior para o pagamento da compra da TV Record do Rio de Janeiro.

Aqui, data venia, pedimos licença para refletir sobre essas palavras do jurista: os fatos arguidos, reputam-se ao ano de 1992. Porém, em nenhum momento, a TV Record publicou o “teor do pedido de arquivamento” da referida Ação Penal.

Em uma busca pelo site do STJ e STF, encontram-se diversos recursos em processos nos quais Macedo é réu. Mas não foi possível saber, com exatidão, a qual processo o Dr. Lavigne se refere.

Sendo assim, aos que têm algum conhecimento em Direito, só cabe um exercício de “ficção jurídica”:

  • será que o fato da Lei Federal nº 9613 — que trata do crime de Lavagem de Dinheiro e outros — ter sido editada e aprovada APENAS EM 1998, terá tido o Ministério Público Federal o entendimento de que, os fatos narrados na denúncia (que conforme afirma, o dr Lavigne, são datados de 1992), eram fatos atípicos alhures?
  • sendo assim, em se tratando de “fato atípico”, estamos diante da figura do “crime impossível”, motivo pelo qual a denúncia poder ter sido considerado “inepta” pelo MPF e o STF, justamente pelo fato de carecer de “fundamento jurídico do pedido postulado”?

São perguntas que pairam no ar, sem qualquer perspectiva de serem respondidas, quer pela Globo, quer pela Record. Por hora, o bom senso recomenda aguardar a apuração dos fatos pelo Poder Judiciário e confiar que a Justiça será feita, seja para condenar, seja para absolver.

Enquanto isso, quem sofre com isso é o telespectador brasileiro e os católicos — que nada têm a ver com essa “briga particular” entre Globo e Record, entre Macedo x Marinho.

A cada resposta formulada pela emissora da Barra Funda, a Igreja Católica e seus fiéis são citados como “paradigma” de comparação aos ritos e práticas religiosas da Universal… até Xuxa, que foi garota propaganda do “Papa Tudo”, teve sua imagem vinculada à prática de uma suposta ilegalidade

Creio, que o jurídico da Record deva orientar o setor de jornalismo. Se hoje não existe mais uma Lei de Imprensa (que foi revogada por uma decisão do STF) que garanta um Direito de Resposta, por outro lado, existe o Código Civil que é bem claro na questão da Responsabilidade Civil por danos morais ou materiais.

Veremos onde tudo isso irá desembocar!

04
ago
09

Post Amigo – Votem no Léo Mantovani

Blogueiros de todo mundo: uni-vos!

Somos uma das poucas classes que, apesar das divergências de opinião e conteúdo, sabemos compartilhar e colaborar mutuamente. É este o motivo deste post.

Um grande amigo e blogueiro do MZN News — o Leo Mantovani — está concorrendo num Festival de Música com uma composição. Inclusive, temos uma entrevista com ele que deverá ser publicada em breve.

Já ouvimos o seu CD e a nossa avaliação foi extremamente positiva. Portanto, indicamos que conheçam e prestigiem seu trabalho. E uma das formas é clicando na figura abaixo, onde você será redirecionado à Página do Concurso. Ouçam e prestigiem a música “Exortação” e confirmem seu voto.

LeoMantovani

01
ago
09

Sarney e a censura

O polêmico precedente de José Sarney

O polêmico precedente de José Sarney

A principal notícias nos jornais, sites e blogs brasileiros deste sábado: Sarney (o filho) vai à Justiça para proibir “O Estadão” de publicar quaisquer matérias sobre o inquérito policial, no qual ele está sendo investigado.

Se você quiser ler o que outros jornalistas falaram sobre o tema, sugiro que visitem os blogs de Marcelo Tás (a cabeça reluzente do CQC),  Augusto Nunes (Veja) e Reinaldo Azevedo (Veja/UOL).

Os textos acima são jornalísticos, feitos por comentaristas especializados em política. Eu não sou jornalista — pelo menos, ainda não, pois eu vou requerer meu registro na DRT — e nem sou advogado.

Mas conheço alguma coisa de jornalismo e muita coisa de direito. O episódio da “censura do Estadão” é uma das maiores aberratio iuris — aberração jurídica, em latim — que já presenciei em minha vida.

Não vou nem conclamar aquele princípio constitucional que garante a tal liberdade de opinião, expressão e pensamento. Continue lendo ‘Sarney e a censura’

25
jul
09

Esportes: Acidente de Felipe Massa na F1

Felipe Massa logo após o acidente, no momento que era retirado do carro: lembranças de Ímola em 1994

Felipe Massa logo após o acidente, no momento que era retirado do carro: lembranças de Ímola em 1994

O acidente com o piloto brasileiro de F1, Felipe Massa, nos treinos livros deste sábado (dia 25) para o GP da Hungria, ocuparam as manchetes do dia em todos os telejornais e sites da internet.

Na semana passada, outro acidente — muito parecido com o que Massa sofreu — já ocupara os noticiários: Henry Surtees, com 18 anos, morreu em decorrência das lesões sofridas durante uma etapa da F2 em Brands Hatch, na Inglaterra.

O acidente de Surtees e de Massa reacendem a polêmica sobre a segurança do automobilismo, especialmente, das categorias envolvendo a FIA e a Fórmula 1.

A semelhança entre os dois acidentes, remete imediatamente, às circunstâncias do acidente que vitimou o piloto Ayrton Senna, há 15 anos atrás, quando partes da barra de direção atravessaram o capacete e atingiram seu crânio, provocando sua morte. Continue lendo ‘Esportes: Acidente de Felipe Massa na F1’




Pessoas já leram MZN News:

  • 319,970 hits

SOS Nordeste

Categorias de Matérias

Quer procurar alguma coisa no Blog?

Digite no campo abaixo palavras chaves (tags) para encontrar nas matérias já publicadas

Arquivos

Expediente

Editor e Articulista:
Mazinho Almeida
Colaboradoras:
Fládima Christofari (Campo Grande -MS)
Helen Mariana (Curitiba-PR)
Cartas à Redação:
Para corresponder com nosso blog, além dos comentários, envie e-mail para o endereço mznnews.redacao@gmail.com