22
dez
08

Música: o novo hit do Carnaval Baiano em 2009

Da internet para os trio-elétricos: “Pó pará com o pó” é a aposta para maior hit do Carnaval Baiano em 2009.

Que o YouTube já foi o responsável pela eclosão de muitos hits, como o “Vai tomar no c*” e “Eu vou te excluir do meu orkut“, todos nós já sabemos. 

Mas desta vez é diferente: a morena bonita e simpática da foto ao lado, é a “Ivete Sangalo” dos católicos. Ela se chama Jacquelinne Michelly Santos da Silva, mas atende pelo nome artístico Jake.

Jake tem 29 anos, recém-casada (a cerimônia realizou-se dia 30/08/2008) e apesar do sotaque e tempero “baiano”, é paulistana. É cantora católica desde os 13 anos, onde comecou cantando em um grupo de música paroquial chamado “Guerreiros do amor“. Não por coincidência, seu primeiro CD recebeu o título de “Jake – Guerreira do Amor

O CD foi lançado em 2006 pela gravadora Codimuc, muito conhecida e conceituada dentro do mundo católico, mas sem uma maior penetração no mercado fonográfico nacional. E Jake permaneceu desconhecida do grande público por quase dois anos, até uma de suas aparições num programa de televisão (por sinal, em uma TV católica: a TV Aparecida), ser veiculada no YouTube.

De boca-em-boca, a divulgação do vídeo tomou proporções tamanha que acabou chegando ao conhecimento da produção do Pânico na TV (de novo, eles). Depois de sua aparição no dominical, ela se tornou um verdadeiro fenômeno, tendo seu vídeo recebido mais de 400 mil visualizações.

Nem a própria Jake esperava que sua música ganhasse tamanha repercussão. A cantora, em seu blog, expressa essa tamanha alegria e espanto: “Galera! Tô boba…Vcs viram a repercussão do vídeo Pó pará com pó na internet?? Tá bombando.Eu não imaginei que a galera em massa pudesse assisir e fazer suas críticas.

Jake, porém, como todo artista católico rejeita a fama repentina e reafirma que seu objetivo não é a autopromoção, mas sim, o anúncio do Evangelho: “Estou mto feliz porque sei que as pessoas estão vendo e ouvidno (sic) Deus. Não é Jake…é a palavra de Deus.. É o Nome Dele que fica em evidência“.

Se Jake já era um fenômeno na Internet, faltava ainda, a “benção da Papa Baiana”, Ivete Sangalo: e isto já aconteceu durante o CarNatal 2008 (micareta de Natal RN). Jake, que fora levada ao evento pela produção do Pânico, foi convidada por Ivete à subir no Trio Elétrico e cantaram juntas o grande hit. A platéia foi ao delírio.

Com as bençãos de Ivete, Jake segue firme no seu apostolado musical. E não é de se admirar que Pó pará com o pó seja mesmo o grande hit do carnaval baiano do ano que vem. Até osemi-deus-baiano Caetano Veloso, teria se rendido ao sucesso do hit e se convertido em um dos mais importantes divulgadores da música: “Tá sendo mto legal saber que mta gente tá conhcendo minha música. Um mensagem boa tá chegando pra mta gente. Até o Caetano Veloso pediu para os artístas da bahia cantarem Pó Pará com Pó, num é fera! “[sic], afirma a própria Jake, em dos posts de seu blog.

Não consegui confirmar a veracidade dessa declaração de Caetano. Seja ou não verdade, independentemente da música ser ou não o maior hit do próximo Carnaval, Jake é prova da força que a música católica vem demonstrando ao longo dos últimos dez anos.

Esta fase iniciou-se com o Padre Marcelo Rossi, que no seu álbum de estréia, em 1998, alcançou a espantosa marca de 3.328.468 de exemplares vendidos, desbancando os maiores fenômenos de vendagem de discos e CDs até então, como Xuxa, RPM, Mamonas Assassinas, Roberto Carlos e a dupla Leandro & Leonardo. Tal façanha lhe rendeu o topo da lista dos maiores vendedores de disco:  essa posição permanece imbatível, mesmo após 10 anos, e nada no horizonte aponta que tal marca seja superada, numa época em que a pirataria e as novas formas de venda de músicas ganham cada vez mais espaço.

De lá para cá, a música católica cresceu: não apenas em quantidade, mas em qualidade. Surgiram cada vez mais opções aos consumidores católicos, que passaram a ter no cardápio, não apenas Padres Pop Stars, mas outros artistas e estilos musicais.

Nomes como a banda Rosa de Saron, cujo último CD/DVD Acústico, contou com a participação do ator global Rafael Almeida em uma das faixas, é uma verdadeira febre entre o público adolescente. O sucesso não se restringe aps catholic teens: atinge, inclusive, jovens evangélicos e não religiosos. Tudo graças à canções, cujas as letras falam de Deus de uma forma superficial e implícita, e melodias com refrões grudentos e o carisma do vocalista da banda, o jovem Guilherme de Sá. Com mais de 15 anos de história, o Rosa (como é chamado pelos fãs), tem tudo para despontar como trilha sonora de Malhação, a qualquer momento.

A música católica, este ano, conseguiu emplacar mais um sucesso: trata-se do padre Fábio de Melo. Seu mais recente disco “Vida” (o 11º de uma discografia densa e respeitável), foi lançado pela SomLivre e já alcançou em 2 meses a marca de 400 mil cópias vendidas, cujo disco de platina triplo foi entregue em mãos pela apresentadora Xuxa em seu programa sabático-matinal. Aliás, Padre Fábio se tornou figurinha fácil em programas de TV de redes não católicas, como Band, Cultura, Gazeta e Brasil. Seu rosto e voz, à exemplo de Jake, já era conhecido do público católico; mas o seu alcance era restrito aos canais de TV e rádios eminentemente católicos.

Com “Vida”, Padre Fábio de Melo retoma o sucesso do seu irmão de sacerdócio, Marcelo Rossi, e desponta como a principal aposta do braço fonográfico da poderosa Rege Globo, para fazer frente à  gigante SonyBMG. E ninguém duvide que em pouco tempo, Fábio de Melo, se tornará um rosto cada vez mais conhecido em todo o Brasil – e fora dele.

Não é possível afirmar se Jake, Rosa de Saron e Fábio de Melo serão apenas “sucessos meteóricos” ou se realmente  irão vingar, conquistando um espaço definitivo no cenário da música popular brasileira.

Caso contrário, à exemplo do que ocorreu anos atrás, quando do surgimento do fenômeno Marcelo Rossi, muitos padres cantores surgiram na mídia e tiveram sua carreira artística alavancada por gravadoras que quiseram correr atrás do prejuízo. Apenas alguns deles vingaram: nomes como o do Pe. Zezinho, scj e Pe. Antônio Maria,  que mesmo fora do casting de grandes gravadoras, permanecem vendendo muitos discos e possuem uma trajetória musical tão sólida quanto a sacerdotal.

Outros nomes, como o do Pe. Zeca, Pe. Fábio (de Fortaleza CE) e Pe. Dalcides desapareceram tanto das mídias comerciais, quanto das católicas. O destino deles é incerto e não sabido. Teriam deixado a batina? O sucesso teria lhe subido à cabeça? O assédio do público – especialmente, do feminino – teria sido uma situação para a qual eles não estavam preparados para lidar?

Elucubrações à parte, uma coisa é certa: o mercado da música católica cresceu e ainda é um nicho pouco explorado pelas grandes gravadoras comerciais. E ninguém duvide que, em tempos de pirataria e baixa vendagem de discos, elas ficarão à margem na disputa por essa fatia do mercado fonográfico. A Majors (como são chamadas as grandes gravadoras) já cometeram esse erro anos atrás; suas estratégias de outrora, revelaram-se no mínimo, míopes. Estupidez seria, se diante dos números que já foram citados, elas insistissem em continuar negligenciando esse público consumidor.

Não existem pesquisas estatísticas que definam o perfil do consumidor de música católica, revelando dados, tais como faixa etária, classe social e nível de instrução. Mas uma coisa é certa: a noção de moralidade e de “pecado” percrustrados nesse público é algo que pode ser trabalhado em favor das gravadoras (o que é bom) e dos artistas (o que é melhor ainda). O consumidor católico tem uma visão diferente de um CD: para eles, o CD não é apenas um “produto”, mas sim, um serviço de evangelização. Talvez por esse motivo, os menores índices de pirataria são verificados justamente nessa fatia do mercado fonográfico.

Mas os mares d’antes tranquilos, começam à mostrar os primeiros sinais de que uma  forte tormenta se aproxima: as  pequenas gravoras católicas juntaram forças e iniciaram uma campanha de conscientização contra o download de CDs. E as grandes gravadoras têm pressa em aproveitar que a tempestade da pirataria ainda não atingiu de forma significativa esse segmento.

No caso dos artistas e gravadoras católicos, os maiores vilões não são os camelôs, nem as grandes redes de contrabandistas: são os blogs e comunidades no Orkut, especializados em disponibilizar esse tipo de material para download, sem cobrar um tostão dos interessados, e sem repassar nada para os titulares de direitos autorais e conexos.

Os defensores de tal prática, escondem-se sob o anonimato da internet e da bandeira da liberdade religiosa e de que,a finalidade precípua de evangelizar, não pode ser negligenciada por fatores como os preços não-convidativos dos CDs. Numa discussão sobre o tema “pirataria” em uma dessas comunidades, a maioria dos defensores são pessoas sem rosto e que invocam as palavras de Jesus que “o que de graça recebeste, de graca, dar-se-á.

Já os que combatem essa forma de pirataria, especialmente os artistas, invocam outro princípio evagélico: o do “que o trabalhador é digno de seu salário“.  E no meio do fogo cruzado, estão milhões de católicos, que baixam as músicas para ouvirem em seus I-Pods ou para as gravarem em CD-R e ouvir no rádio de seus carros; mas que, sabem, que a prática da pirataria, além de imoral, é ilegal.[sobre isso, vide meu artigos no Portal da Música Católica].

O fato é que os custos de produção de um CD católico não diferem de um CD secular (assim é chamado o mercado não religioso); sendo assim, o que explica a diferença substancial no preço final entre um CD secular e um católico (com vantagem de preço para o último), são os custos não contabilizados e não oficialmente assumidos pelas Majors.

Um CD católico custa em média de R$10 a R$12 mais barato que qualquer CD em lançamento das grandes gravadoras. O que não deixa de ser racionalmente inexplicável, dado o fato de que a tiragem inicial e o público final, são muito mais desfavoráveis às Índies católicas. Na lógica capitalista, quanto maior a quantidade produzida em série, menores os custos de produção: e consequentemente, menor o preço final do produto manufaturado.

O que pesa à favor das gravadoras católicas, é que as mesmas não destinam parte substancial dos orçamentos de suas produções para o “Marketing” dos produtos. Em outras palavras: descontados os impostos e demais custos de produção, logística e distribuição, o que encarece um CD secular é o “custo implícito” e não declarado do famoso Jabá.

A prática é corriqueira entre as grandes gravadoras, porém, jamais publicamente assumida pelos departamentos jurídicos e de comunicação das mesmas. André Midani, que foi presidente da Polygram e Warner Music no Brasil, assegura em seu livro autobriográfico, que o pagamento por parte das gravadoras às  grandes redes e emissoras de rádio, para tocaram exaustivamente determinadas músicas ou artistas, é praxe. E remonta à decada de 50, quando para ilustrar o fato, relata o caso norte-americano do dono da Time Warner, Steve Ross, resolveu furar o cerco à máfia de disk-jóqueis. Resultado: ambos saíram perdendo, porém, Ross acabou cedendo e pagou o exigido pela máfia do jabá.

No meio de tanto barulho e do oásis espiritual que a música católica promete proporcionar aos seus fiéis, que rufem os tambores e atabaques dos Blocos e que rifem as guitarras nos Trios Elétricos de Salvador!

Site Oficial da Jake:
http://www.jake.com.br

Blog da Cantora:
http://jakeguerreiradoamor.zip.net

Entrevistas:
http://www.opovo.com.br/opovo/buchicho/843805.html
http://www.oficinadamusicacatolica.com/entrevistajake.html

v

Anúncios

30 Responses to “Música: o novo hit do Carnaval Baiano em 2009”


  1. 23 de dezembro de 2008 às 00:21

    Rafael Almeida doido! hauhaua

  2. 2 Flábio
    23 de dezembro de 2008 às 17:29

    Agora vão contratar para uma gravadora maior…uhauhauhauha
    O cabelão não ajuda no visual uhauhauhaua
    Detalhe … eu tenho o CD dela. Vc tem, Mazo?

  3. 3 Cris Parron
    27 de dezembro de 2008 às 15:13

    Bom, sou fã incondicional de “Ivetinha” ( aliás, sonho em ir pra Carnaval da Bahia só pra me divertir com o trio dela. E a Jake foi muito feliz com essa música, que se tone mesmo o ritmo do carnaval 2009. Sucesso pra ela, desde que não tente imitar minha querida Ivetinha, rsss

  4. 15 de janeiro de 2009 às 08:06

    Primeiramente parabens! pelo blog
    Acreditando ser de total interesse desse blog espetacular
    quero indicar acreditando ser de muita utilidade para o publico em geral
    obrigado
    http://www.zigbr.com

  5. 5 Kadu
    19 de janeiro de 2009 às 15:55

    Leo Mantovani por aqui…
    Já ouvi muito falar de vc. Sei quem produziu teu CD – irmão do Davi, e outros.
    Que achou da materia, irmão?

  6. 6 Camila
    19 de janeiro de 2009 às 18:49

    Sobre o Rosa de Saron…

    … Tudo graças à canções, cujas as letras falam de Deus de uma forma superficial e implícita, e melodias com refrões grudentos e o carisma do vocalista da banda, o jovem Guilherme de Sá.

    É tão Ridicula a parte do “refrões grudentos” Num vejo nada de grudento!
    Vejo apenas um amor muiito grande a Deus que merece tudo isso!
    E tomara que musicas do Rosa não pare na malhação, pois com certeza colocariam com outro sentiido pra algum casal ridiculo da mesma.
    Se bem que dariam um show em cantorzinhos que sempre estão por lá como NX0, Strike e mais um monte de porcaria que na gravação é uma coisa maiis quando ouve ao vivo é só lixo!

    O Rosa é a melhor banda na minha opinião… E quando falar de algum assunto pesquise, pra depois vir falar…

    Refrões grudentos… era só o que faltava…

  7. 7 teamajormar
    19 de janeiro de 2009 às 19:40

    Camila,

    Peço que leia o Editorial que escrevi hoje.
    Respeito sua opinião acerca do Rosa do Saron. Da mesma forma, sinto que você talvez, deveria respeitar a minha, não acha?

    Quando eu falei do Rosa de Saron, falo com conhecimento de causa: com exceção dos CDs “Acústico” e “Acústico Ao Vivo”, do DVD “Acústico Ao Vivo” e do EP “Olhando de frente” TENHO TODA A DISCOGRAFIA DO ROSA DE SARON, totalizando, 04 CDs:

    1. Diante da Cruz
    2. Angústia Suprema
    3. Depois do Inverno
    4. Casa dos Espelhos

    Quanto à PESSOA deles, como bem frisei, É INEGÁVEL O CARISMA do vocalista da banda, Guilherme de Sá. Eu ja tive oportunidade de conhecê-los pessoalmente, tocar num show junto com eles.

    Eles são simples… o Grevão (baterista), sem sombras de dúvidas, é o mais divertido de todos.

    Então, acho que quando eu falo de “refrões grudentos”, creio que você deveria reler a matéria COMO UM TODO, para ver que o contexto em que utilizei essa expressão, foi de forma POSITIVA.

    Afinal, o Rosa que eu aprendi a gostar de ouvir (na época, uma banda de Heavy Metal com pitadas de melódico, com Tchelão nos vocais e Eduardo Bortolatto nos teclados), MUDOU com a entrada de Guilherme de Sá.

    A banda, ficou SIM, mais POP. Tanto que, o PADRE JOAOZINHO elogiou-os em seu Blog:

    http://blog.cancaonova.com/padrejoaozinho/2007/09/13/os-rockeiros-convertidos-do-rosa-de-saron/

    Sabe o que acontece: eu sou MUITO parecido com Padre Joãozinho. Sou SINCERO e falo o que penso. Mas PENSO MUITO ANTES DE FALAR! Eis a diferença…

    Quando eu digo que o Rosa de Saron, utiliza “refrões grudentos”, eu falo com conhecimento de causa, sim: sou músico, compositor e produtor. Sei qual é a formula dos HIT MAKERS.

    Ouça composições de Leoni/Paula Toller, Michael Sullivan/Massadas, Cesar Augusto/Piska, Roberto Carlos/Eramos Carlo, Peninha… você entenderá do que estou falando quando utilizo a expressão “refrões grudentos”.

    Quanto às letras superficiais, como posso dizer? Padre Joãozinho não é um grande entusiasta no uso do ROCK COMO MEIO DE EVANGELIZACAO. Nisso, eu discordo dele.

    Porém, concordamos em um ponto: o som do Rosa “soa secular”. E é justamente isso, “a graça do negócio”.

    E então, Camila?

    Você realmente acha AINDA que eu NÃO PESQUISEI antes de falar?
    Abra sua mente…

    😉

  8. 8 Cris Parron
    19 de janeiro de 2009 às 22:02

    Mazo, para discutir com você, deve-se estar muito certo do que se diz. Por isso que gosto do seu blog. A gente se diverte e se informa ao mesmo tempo. Parabéns!!

  9. 9 Camila
    20 de janeiro de 2009 às 10:43

    Então queridissimo!
    Eu acho que quando for falar Grudento em um sentiido positivo,
    Deveriia explicar pq, não fui só eu quem achou muiito estranho isso!
    Foi uma super Galera fã do Rosa que participa ativamente da Comunidade Oficial do Orkut.
    Eu tb conheço a banda muiiito bem! ^^
    Se vc pesquisou? Que bom néh!
    Menos mal…
    Maiis contiinuo cm a minha opnião… Achei ridicula a parte do “refrões Grudentos”…
    É só minha opinião.
    Sobre ser sincero, eu tb sou, e expresso o que penso, pois odeio gente que esconde e fica só dizendo Amém!
    Ah sobre abriir minha mente queriido… Ela é muiito aberta…
    O Problema é que o mundo tá cheio de porcariia mesmo…

    Parabéns pra vc por ter pesquisado bastante tá! ^^

    Rosa de Saron… A melhor banda…

    Fiquem com Deus aÊ…

  10. 10 marcella lópez
    20 de janeiro de 2009 às 12:26

    Poow gente naa comuu do orkut doo Rosa de Saron , táá dizendoo
    quue uma musica deles que eu não me recordo vaai estaar a Trilha Sonora
    de Malhaçãoo, alguéem achaa isso realmente certooo ?

  11. 11 Camila
    20 de janeiro de 2009 às 18:13

    Então né!
    Pesquisou é?
    Que Otiimo néh!
    Menos Mal!
    Eu tb conheço o Rosa Muiito bem! Tenho todos os Cds, DVD, Livro…
    E acho que eles são os melhores…
    Maiis dei minha opinião e fiquei chateada por ver vc postar que têm “refrões grudentos”. Desculpa se fui ignorante, maiis não ví isso como positivo!
    E a galera da comuna oficial do rosa no Orkut tb não…
    Eu tb sô sincera, e falo o que penso pois detesto pessoas que escondem e ficam só falando Amém!
    Sobre abriir a mente, a minha é bem aberta graças a Deus, o problema é que nesse mundo tem muita porcaria…

    Vlw!?

    Marcella, na comuna não tão dizendo que VAI estar na malhação! Levantaram a questão para ver o que achavamos…
    E a questão foi tirada dessa postagem aqui!
    Ok!?

    Pax… ^^
    Fikem com Deus…
    =D

  12. 12 Luiz Fernando
    22 de janeiro de 2009 às 01:02

    Olá!

    Em relação a resposta dada a Camila, não vi no comentário dela nenhuma relação de secularidade com a banda Rosa de Saron, a saber, quando ela diz que vê nas letras, ou “refrões grudentos” ( como você diz ) um amor muito grande por Deus, creio eu que descarte qualquer hipótese de associar a banda que é cristã a alguma relação secular ou profana. Acredito que as comparações foram a título de curiosidade, pois se realmente alguma música viesse a tocar na Malhação – o que eu espero que não aconteça e creio que não vai acontecer – seriam realmente muito superiores às bandas ditas “emocore”.

    Comentando sobre a postagem no blog, eu não simpatizo com a Jake, então vou falar do Rosa de Saron.

    “Nomes como a banda Rosa de Saron (…) é uma verdadeira febre entre o público adolescente.”

    Febre?
    Qual o conceito de febre que você tem?
    Creio que quem está febricitante é você, rs. Enquanto a banda tem pouco mais de 70 mil pessoas em sua comunidade, com músicas não sendo “hits” e primeiras colocadas em rádios de todo Brasil, sem ter meninas tatuando “Rosa de Saron” no braço, enfim… Fazendo seu trabalho modestamente. Bandas como Nx Zero, Strike, Fresno e outras, tem em suas comunidades quase 500 mil pessoas, com suas músicas tocando massivamente na mídia, e ganhando prêmios na MTV. Graças ao jabá das grandes emissoras, bandas como essas ( apesar de muito inferiores à muitas outras que ainda tocam em garagens ) lançam suas modas, seus cortes de cabelo, suas ideologias, e são logo assimiladas por muitos jovens que transformam a banda numa “febre”. Nem todo católico conhece o Rosa de Saron, mas a grande maioria dá ibope pra bandas como essas. Pro Rosa virar febre tá muito longe, talvez quando eles lançarem bonequinhos pela estrela, ou então bonés, cuecas, meias personalizadas e outras coisas e você ver muita gente na rua usando – como era na época do RBD – aí sim você pode dizer que a banda virou uma “febre”. Mas não acredito que os fãs de verdade irão precisar de febrifugos, e como bem sabemos o que hoje é aplaudido na TV, amanhã já está esquecido. Quem sabe um dia eles se tornem uma “febrícula”, ou até mesmo uma “febre”, mas hoje não pode-se dizer que a banda É isso.

    “O sucesso não se restringe aps catholic teens”

    Não mesmo, minha mãe já passou dos 4.0 e gosta da banda. Aliás… “Catholic teens”?! Putz…

    “Letras falam de Deus de uma forma superficial e implícita”

    Usou de um eufemismo pra não dizer “forma enrustida”?
    Por trás da banda e da mensagem que ela transmite em suas músicas, obviamente está aquilo que eles têm por verdade. Será que os integrantes do Rosa têm por verdade um tratamento superficial com Deus? Aí entraríamos na questão da religiosidade deles, que não cabe a ninguém mensurar.

    Superficial seria algo raso. Teoricamente na tua opinião – que parece a da cultura de massa – eles não passam um sentido profundo nas músicas. No mínimo questionável isso, até porque a banda tem uma característica subjetiva, se isso leva a alguns individualismos, o problema não é com a banda e suas letras “superficiais” (sic!) e sim com alguns ouvintes e seus ouvidos “superficiais”, ou inteligência superficial, ou conclusão superficial, enfim.

    Até por isso boa parte do pessoal da comunidade “Fãs do Rosa de Saron”, não gostaria que a banda tivesse músicas suas na novela. Por vários fatores, dado ao poder de alienação mental da Globo e sua já comprovada facilidade em inverter os valores, seria possível que colocassem uma música do Rosa como “apenas uma canção de amor”, numa cena romântica com um casalzinho falso aos beijos, mais falsos ainda. Ou seja, tentar transformar a banda em algo trivial, comum, igual essas de emocore que só mudam os nomes mas no fundo é a mesma coisa.

    Outra justificativa seria a de não participar destas novelas, já que fazer algo assim é um modo de não censurar os erros propagados, e, de algum modo, passar por cima destas bobagens e promover tais programas. Até porque pensamos: “Não é para a TV que aplicam-se como uma luva expressões como “concupiscência da carne, concupiscência dos olhos e soberba de vida, e isto não vem do Pai, mas do mundo”?

    “Refrões grudentos”

    rsrs
    Eu até nem ia comentar sobre isso, até porque pra Camila você se justificou dizendo que: “o contexto em que utilizei essa expressão, foi de forma POSITIVA.”
    Porém, é uma frase bem evitável, dado que soa como aqueles refrões que você escuta 30 vezes na mesma música e não saem da tua cabeça, como se isso fosse a causa do sucesso da música do Rosa. Na verdade, pra alguém que tem um pouco de perspicácia ( nossa, rs ) pra perceber que a música NÃO é secular é SIM cristã, creio que os tais “refrões grudentos” são os que menos importem. Talvez eles até ajudassem o ouvinte a perceber que “do que é Deus poucos veem ( você deve conhecer essa música )”. É, as pessoas estão acostumadas a ouvir “Créééu” e outras porcarias que tocam na rádio, aí quando se deparam com uma frase subjetiva logo pensam que é profana, que tá falando de namoradinhos, do mundo, de qualquer coisa, menos de… Deus.

    “Com mais de 15 anos de história”

    Poderia ter dito 20 de uma vez, tendo em vista que a banda tá completando 20 anos de estrada. Mas isso é irrelevante.

    “Com mais de 15 anos de história, o Rosa (como é chamado pelos fãs), tem tudo para despontar como trilha sonora de Malhação, a qualquer momento.”

    Pela Graça de Deus essa sua previsão ou aposta, ou sei lá o que, não vai se concretizar, rs.

    Outra coisa que gostaria de comentar sobre teu texto:

    ( Sobre as comunidades Católicas de downloads )”Os defensores de tal prática, escondem-se sob o anonimato da internet e da bandeira da liberdade religiosa”

    Não há anonimato. Talvez a melhor forma de “defender a prática”, seja com o próprio código penal brasileiro que no artigo 184 ( Se a violação consistir em reprodução total ou parcial, com intuito de lucro… ) deixa claro que pirataria é quando se tem intenção de lucro.

    E ainda:

    “Sem cobrar um tostão dos interessados, e sem repassar nada para os titulares de direitos autorais e conexos.”

    Que eu saiba os donos de comunidade também não ganham nada quando baixam os CD’s. Se a cada clique no meu HD virtual me rendesse uns 5 reais, eu tava pagando a internet aqui de casa só com esse “trabalho”, rs.

    “Já os que combatem essa forma de pirataria (…) “que o trabalhador é digno de seu salário“

    Pra quem dá 40% de sua renda em tributos, e ainda tem que sustentar família, comprar leitinho das crianças e etc, ficar comprando CD’s originais não deve ser muito chamativo. Mesmo assim, eu percebo que o público Católico, mesmo fazendo bastante download, compra muito CD, até porque cantores Católicos que nem são conhecidos do grande público vendem seus CD’s maravilhosamente bem. Isso até pode ser comprovado num ranking que tem no próprio site que você indicou “Portal da música Católica”.

    “Um CD católico custa em média de R$10 a R$12 mais barato que qualquer CD em lançamento das grandes gravadoras.”

    Mas o preço na hora de vender é o mesmo! Que interessante…

    Enfim…

    Paz e bem!

  13. 13 AYANDA
    22 de janeiro de 2009 às 09:12

    Não acho que as letras sejam implícitas, mesmo porque a Banda nasceu no meio católico, fazendo músicas para a juventude católica, e quem de fora gostar é bem vindo! Agora vejam:

    “Manda teu ESPÍRITO, e vem me abraçar, pra eu não chorar…”
    “Seja com minha voz, meu LOUVOR, meu amor…”
    “Só você faz o mar se acalmar…”
    ” A minha saída, um HOMEM CHAGADO me mostrou e disse que o amor numa CRUZ ele provou…”
    ” Levante as mãos e vais sentir o HOMEM DA CRUZ A TE REMIR, OLHE PRO CÉU E TENTE VER, HÁ UM DEUS À ESPERA DE VOCÊ…”
    “Eu sei que sempre foi meu DEUS, mas sei também que é o meu melhor amigo”
    “Há uma outra mulher que menina, soube um dia viver sua sina – criar o FILHO DE DEUS para todos libertar”
    “Só a lua ilumina a angústia de um homem DEUS”
    ” É a fome e a miséria dos verdadeiros filhos de DEUS”

    ……………………………………………….??????????????????

  14. 14 Ricardo Rosa
    23 de janeiro de 2009 às 14:50

    Na internet já está rolando um forte concorrente pra música do pó:

    “Red label ou ice” (“Dança do Ice”) da cangaia de jegue.

    já saiu até no “O Globo”. Veja;

    http://extra.globo.com/lazer/sessaoExtra/post.asp?t=musica-parodia-de-rise-up-promete-ser-hit-no-verao&cod_Post=154822&a=177

    Youtube;

    Site da Cangaia de Jegue;

    http://www.cangaiadejegue.com.br

    Abraçossssssss

  15. 15 Walter
    27 de janeiro de 2009 às 22:25

    “Se bem que dariam um show em cantorzinhos que sempre estão por lá como NX0, Strike e mais um monte de porcaria que na gravação é uma coisa maiis quando ouve ao vivo é só lixo!” [2]

    Concordo com tudo que a Camila falou, tem nada de grudento no som do Rosa, é um som muito rebuscado de trabalhado, cuidado com as palavras pode dar um sentido totalmente errado, o Rosa tem uma história gigantesca e muito digna e bonita por sinal não é qualquer badinha merda e de modinha que cada vez mais surgem por aí com uns riffs e duas notas com músicas superfícias….

    horrível seu comentário!

  16. 16 Walter
    27 de janeiro de 2009 às 22:26

    “…rebuscado e trabalhado…”***

  17. 17 Cris Parron
    28 de janeiro de 2009 às 01:59

    Por favor, façam uma pesquisa sobre os CDs católicos. O Rosa de Saron, na internet, que geralmente é mais em conta, chega na casa dos R$19,90. O Luiz Fernando está um pouquinho desatualizado. E se o Rosa for parar na trilha do Malhação??? Qual o problema? Talvez até consiga levar uma mensagem boa ao público teen.

    Não desfazendo do Rosa de Saron, que tem seu valor religioso e cultural, muito menos o valor de NX Zero, que apesar das letras melosas, fala sim, de amor, de relacionamentos, enfim, o que a gurizada dessa idade passa, sente, vive…e curte. É o momento deles. Que com certeza, vai passar. Coisa comum da idade. Não condeno, nao critico, nenhuma banda ou grupo de Pop/Rock. O que importa é que as pessoas possam ouvir e se sentirem bem, com refrões grudentos ou não. A canção é a forma mais perfeita de expressão ( no meu ponto de vista, fique a vontade pra discordar ou não, mas sem querer opinar bitoladamente ), pois une as palavras e a melodia, tão agradável à alma.

    E olha que bonitinho: ” Mas espero que daqui pra frente, tudo se renove pra pra nós dois…Nossas vidas são tão diferentes, Viva agora tudo o que sonhou, Muita coisa ainda está por vir, Muita coisa ainda vai mudar (…)”

    NX Zero, fim de relacionamento sem mágoas e que cada um possa seguir seu caminho em paz… Que mal há nisso?????
    Preconceito tolo com os emocores…

    Ah… já vi sim, muita gente com a camiseta do Rosa na rua, assim como, vejo garotos(as) com camisetas de NX Zero, Fresno, e etc.. Eu na minha adolescencia usava (e voltei a usar) camiseta do Guns n’ Roses. E daí?? Que mal há nisso? Gosto do Guns, sim… mas sou fã o suficiente pra criticar o que não gosto deles, do comportamento, atitudes, letras… e até mesmo falhas. Criticar é ter opinião própria sem se bitolar em algo.

    Perfeição, pra quem se diz católico, só encontramos num lugar,certo? E por favor, sem hipocrisia!!

    Adoro e sou fã do Papa João Paulo II, mas têm coisas que ele disse, que eu discordo, pois é o meu ponto de vista. Nem por isso, vou crucificá-lo, pois ele é e foi importante para quem ele conseguiu fazer feliz e levar a mensagem de Deus.

    Com tanta coisa pra gente se preocupar… open your minds and see like Jesus, people!!!

    POVO… o importante é ser feliz e não fazer mal a ninguém. O resto é só resto.

  18. 18 Cris Parron
    28 de janeiro de 2009 às 02:24

    Por favor, façam uma pesquisa sobre os CDs católicos. O Rosa de Saron, na internet, que geralmente é mais em conta, chega na casa dos R$19,90. E se o Rosa for parar na trilha do Malhação??? Qual o problema? Talvez até consiga levar uma mensagem boa ao público teen.

    Não desfazendo do Rosa de Saron, que tem seu valor religioso e cultural, muito menos o valor de NX Zero, que apesar das letras melosas, fala sim, de amor, de relacionamentos, enfim, o que a gurizada dessa idade passa, sente, vive…e curte. É o momento deles. Que com certeza, vai passar. Coisa comum da idade. Não condeno, nao critico, nenhuma banda ou grupo de Pop/Rock. O que importa é que as pessoas possam ouvir e se sentirem bem, com refrões grudentos ou não. A canção é a forma mais perfeita de expressão ( no meu ponto de vista, fique a vontade pra discordar ou não, mas sem querer opinar bitoladamente ), pois une as palavras e a melodia, tão agradável à alma.

    E olha que bonitinho: ” Mas espero que daqui pra frente, tudo se renove pra pra nós dois…Nossas vidas são tão diferentes, Viva agora tudo o que sonhou, Muita coisa ainda está por vir, Muita coisa ainda vai mudar (…)”

    NX Zero, fim de relacionamento sem mágoas e que cada um possa seguir seu caminho em paz… Que mal há nisso?????
    Preconceito tolo com os emocores…

    Ah… já vi sim, muita gente com a camiseta do Rosa na rua, assim como, vejo garotos(as) com camisetas de NX Zero, Fresno, e etc.. Eu na minha adolescencia usava (e voltei a usar) camiseta do Guns n’ Roses. E daí?? Que mal há nisso? Gosto do Guns, sim… mas sou fã o suficiente pra criticar o que não gosto deles, do comportamento, atitudes, letras… e até mesmo falhas. Criticar é ter opinião própria sem se bitolar em algo.

    Perfeição, pra quem se diz católico, só encontramos num lugar,certo? E por favor, sem hipocrisia!!

    Adoro e sou fã do Papa João Paulo II, mas têm coisas que ele disse, que eu discordo, pois é o meu ponto de vista. Nem por isso, vou crucificá-lo, pois ele é e foi importante para quem ele conseguiu fazer feliz e levar a mensagem de Deus.

    Com tanta coisa pra gente se preocupar… open your minds and see like Jesus, people!!!

    POVO… o importante é ser feliz e não fazer mal a ninguém. O resto é só resto.

  19. 19 João PauloII
    28 de janeiro de 2009 às 23:42

    Eu acho aquela maquiagem nos olhos do Guilherme a coisa mais gay que eu já vi… kkkkkk

    E essa fã louca do Rosa de Saron, Camila, tá querendo é outra coisa kkkkkkk já saquei :p

    Pior é o Dalvimar Gallo que plagia direto as músicas dos outros, sem dó nem piedade. Que o diga Brian McComas, que teve sua música “I could never love you enough” transformada em “Peregrino do amor”. NÃO ACREDITA?
    CONFIRA OS VÍDEOS NO YOUTUBE:

  20. 20 Ana Paula
    3 de fevereiro de 2009 às 08:56

    Esse povo fã [i] incondicional do Rosa entendeu tudo errado!

  21. 21 clonedapaula
    3 de fevereiro de 2009 às 09:03

    Cara… que história é essa de “leitinho pra comprar”? E quem produz, compõem, canta e toca, não tem criança pra criar?! Ah, gente, que ridículo!
    Que coisa mais sem “cabimento”!
    Amo o Rosa, Ziza, VR, Pe. Zezinho e muitos outros artistas católicos.
    Mas pense.. André Bolela, por exemplo, (ex- Banda Taus), lançou um CD agora, “independente”. O Cd é um dos melhores que já ouvi. Com instrumental e composições maravilhosos! Vou colocar na “net” pra evangelizar?! E aonde fica o trabalho dele?! O investimento que ele fez pra chegar até ali, naquele CD?! TEmos que entender o seguinte… mesmo bandas como o Rosa de SAron, antes mesmo do Guilherme entrar na banda, já foram bandas desconhecidas, que graças ao fiel público que comprou CD, DVD, foi aos shows, conseguiram investir na banda e tomar proporções maiores..Se liga, Galera! Acorda pra Vida

  22. 22 Luiz Fernando
    9 de fevereiro de 2009 às 11:01

    Well…

    Fui citado!

    Vou falar com a(o) Cris Perron, que ao que parece é fã incondicional do blog mznnews, quais será que são as matérias que ela mais gosta? Do BBB9? rs

    Parece que Cris não leu, ou fingiu que não leu o que argumentei sobre novelas. E me pergunta:

    “E se o Rosa for parar na trilha do Malhação??? Qual o problema?”

    Porque não faz o gentileza de ler o que escrevi anteriormente? Obrigado.

    Cris fala que admira o emocore por “sentir-se bem” ao ouvir…

    O “sentir-se bem” pode ser uma conseqüência, a qual não devemos buscar como objetivo principal. Devemos buscar saber se algo é realmente bom e verdadeiro ou não. Já parou pra pensar que alguém se torna drogado justamente por experimentar a droga e “sentir-se bem” com a sensação que ela lhe dá? Igual você… No começo sente-se bem, busca o prazer, e se torna dependente destas – drogas – músicas e tem essa sensação como objetivo principal na argumentação do porque ouvir algo. Não porque é objetivamente belo, mas porque lhe dá uma sensaçãozinha gostosa com as músicas bonitinhas, melancólicas, melosas, sensuais, etc. Aos poucos você começa a assimilar a ideologia deles, e de certa forma terá que ser conivente com muitas de suas posições.

    Cris ainda continua:

    “A canção é a forma mais perfeita de expressão ( no meu ponto de vista, fique a vontade pra discordar ou não, mas sem querer opinar bitoladamente ), pois une as palavras e a melodia, tão agradável à alma.”

    Não discordo. Bach disse que a música deve ter por único fim o louvor a Deus e a recreação da alma nos seus justos limites. As músicas que você escuta tem por fim Deus ou o homem? Tem limites ou busca o prazer exacerbando as paixões? Tem harmonia ou desarmonia liberal, romântica? Se você não estiver preparada para entender essas questões a música pode moldar seu pensamento, alienar você, quem sabe te transformar numa parca alimália cultural em estado exuberantemente vegetativo. Inclusive Platão escreveu que é possível conquistar ou revolucionar uma cidade inteira pela mudança de sua música. Mais curioso é que a música se introduz imperceptivelmente, e a corrupção moral da sociedade leva a virtude a abismos incomensuráveis, até a estética é esquecida para dar lugar a exaltação de ruídos e batucadas que se auto-denominam música.

    Continuando você me presenteia com uma pérola:

    “Eu na minha adolescencia usava (e voltei a usar) camiseta do Guns n’ Roses. E daí?? Que mal há nisso? Gosto do Guns, sim…”

    Usava aquela camisa do Axl Rose que tinha a imagem do Cristo com a legenda: KILL YOUR IDOLS?
    Qual a música que você mais gosta do Gun’s? Talvez a “Mr. Brownstone” ( Sr Heroína )? Ou você se identifica com a “My Michelle”? Que diz assim:

    “Seu papai trabalha na indústria pornô
    agora que a mamãezinha não está por perto
    ela costumava amar sua heroína
    mas agora ela está embaixo da terra
    então você fica fora de casa até tarde da noite
    e consegue sua coca de graça”.

    E então Cris? Você é Católica? Tem certeza?

    Continuando Cris me diz:

    “Perfeição, pra quem se diz católico, só encontramos num lugar,certo? E por favor, sem hipocrisia!!”

    Por isso Jesus nos disse “Sede antos como vosso Pai do Céu é santo” (Mt 5, 48)
    Você está preparada para deixar o mundo e suas concupiscências e depravações para dar lugar a santidade Cris? E a tal da “hipocrisia”?
    Sabe você que “Todo aquele que quer ser amigo do mundo constitui-se inimigo de Deus.”? (Tiago 4, 4)

    Continuando Cris demonstra como ela é Protestante:

    “Adoro e sou fã do Papa João Paulo II, mas têm coisas que ele disse, que eu discordo, pois é o meu ponto de vista.”

    Parece que Gustavo Corção escreveu exatamente pra você quando disse: “Aquele quer escolher seus mandamentos e dogmas não é Católico, é Protestante!”

    Você está ao lado do Papa JPII quando ele decretou que confissões voltassem a ser nos confessionários? Ou quando ele condena o aborto, o homossexualismo, a ordenação de mulheres, etc?

    Estou rindo Cris… De sua pretensão de um Catolicismo relativista, estou rindo de você e do demônio. Eu sou jovem, talvez igualmente a você, mas sou atraído por Deus, não pela liturgia com músicas modernas, palmas e balançando lencinhos. E sim pela Cruz, sofrimento, Cristo… “Quando veres uma Cruz de madeira só e desprezível, está é a sua Cruz, a de cada dia, que espera pelo Crucificado que lhe falta”. Quer seguir assim Cris? Confesso que sou fraco, não consegui me libertar de toda minha vida secular ainda, mas se Deus me permite o sofrimento, sinto-me privilegiado por isso. Porque o sofrimento também é condicionado por nossas escolhas, e se eu escolhi uma vida pra Deus, significa que não quero mais o vácuo do mundo moderno e sua loucura. Um bom amigo me escreveu: “O católico fiel sabe porque sofre, e sabe direcionar o seu sofrimento para crescer e progredir, os demais, não compreendem, se confundem e se desesperam. Todo o católico tem uma visão especial do sofrimento. Ele sabe que, após o pecado de Adão, a natureza humana está suscetível a males. E quem não vive para Deus, é incapaz de compreender que esta vida é curta e cheio de sofrimentos nós, pelo contrário, nunca nos despesperamos, porque sabemos que a vida não acaba aqui, e que os sofrimentos, ainda que ruins, podem ser úteis para nos ensinar a amar com mais força o bem.”
    Muito bonito isso que ele escreveu Cris…

    E você Cris, está preparada para assim como seu admirado Axl Rose, “matar seus ídolos”? ;D

    “Tornei-me acaso vosso inimigo porque vos disse a verdade?” (Gal 4, 16)

    Paz e bem!

  23. 24 Netto Rodriguez
    28 de fevereiro de 2009 às 11:02

    Ola !! Bom dia!!
    Rosa de Saron sem duvida ´´e a um sucesso.Fico feliz pela repercussao dada por todos, mas fico triste por estar passando tbm de uma forma negativa q suas musicas parecem seculares. Duplo sentido talvez? sei tbm q quem conhece a historia da banda desde o começo sabe q isso naum passa de comparaçoes absurdas. As musicas falam de
    Deus mas d uma forma diferenciada, e ´´e essa forma q chama atençao a tantos jovens, ja fui em 5 shows do rosa e da gente d todo tipo inclusive rebeldes ” rokeirinhos, com camisas de bandas como” red rot, guns, metalica, iron maden e outras tantas, q vao pela masssa, isso ´´e triste pois naum eskutaram as letras e sim o ritmo.
    Abrass!!

  24. 25 Netto Rodriguez
    28 de fevereiro de 2009 às 11:06

    O Joao paulo II, concordo com vc sobre a maquiagem do Guilherme, naum diria Gay mas ´´e bem estranho mesmo, naum tem nada a ver com ser catolico. E sobre Dalvimar vamo respeitar pois ´´e um ´´otimo compositor e naum tem nada de plagio.
    abrass!

  25. 26 mazinhoalmeida
    1 de março de 2009 às 04:31

    O mesmo “Luis Fernando”, que veio aqui “tentar dar lição de moral” e demonstrar uma “pseudo-conhecimento”, foi o mesmo que postou na comunidade do Rosa de Saron a denúncia de “suposto plágio”…
    Olha só:
    .
    http://www.orkut.com.br/Main#CommMsgs.aspx?cmm=184414&tid=5299943936392454460&start=1
    .
    Além dele ser um fundamentalista religioso, que quando acuado em seus argumentos frágeis e pré-fabricados, perde a linha e parte para agressão pessoal, é o mesmo que vem aqui, colhe o que nós escrevemos, posta na comunidade do Rosa, locupletando-se da “descoberta”…
    .
    Mal sabe ele, que além de já termos averiguado a coincidência, já elucidamos os fatos junto aos envolvidos – gravadora Codimuc e Dalvimar Gallo.
    .
    Fica aqui nosso “senão’.

  26. 14 de novembro de 2009 às 22:16

    Parabens pelo blog!
    Estou enviando esse site pois acredito ser muito pertinente com o assunto
    trioeletrico.net.br
    O Trio Elétrico surgiu a mais de 50 anos no Brasil para alegrar as pessoas de terra em terra. O Trio é um palco sobre rodas, com uma potência de 100.000 Watts rms em 360 graus, para espetáculos musicais.

    Oferece a possibilidade de realizar espetáculos em movimento ou parado, bem como de atuar em diferentes locais no mesmo dia. Isto só é possível porque as infra-estruturas estão sempre prontas a funcionar. Versatilidade, flexibilidade, mobilidade e alta qualidade de som, são as principais características deste inédito produto na Europa, que garante um desempenho de alto nível profissional.

    Vocacionado para todo tipo de espetáculos musicais, carnavais, eventos desportivos, promoções, desfiles, atuação de DJ’s, animadores e bandas que viabilizam as mais variadas vertentes do mundo dos espetáculos.

    É um cenário móbil, um espetáculo em movimento. A animação pode-se realizar com DJ’s, grupos musicais, bandas brasileiras, bailarinas, etc. num cenário de 6 metros de altura.

    As infra-estruturas estão de acordo com o funcionamento. Substitui toda a montagem de um super cenário (som, luzes,….) e oferece outras possibilidades. O mesmo caminhão pode ser também utilizado no seu espaço exterior para sponsors publicitários.

  27. 28 Juliana
    27 de janeiro de 2010 às 15:39

    Gostaria de pedir que pesquisem mais antes de sair criticando esses cantores procure ler os livros do Padre Fábia de Mello e conhecer a filosofia dele e do Rosa de Saron depois pode falar alguma coisa.


Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s


Pessoas já leram MZN News:

  • 325,143 hits

SOS Nordeste

Categorias de Matérias

Quer procurar alguma coisa no Blog?

Digite no campo abaixo palavras chaves (tags) para encontrar nas matérias já publicadas

Arquivos

Expediente

Editor e Articulista:
Mazinho Almeida
Colaboradoras:
Fládima Christofari (Campo Grande -MS)
Helen Mariana (Curitiba-PR)
Cartas à Redação:
Para corresponder com nosso blog, além dos comentários, envie e-mail para o endereço mznnews.redacao@gmail.com

%d blogueiros gostam disto: