19
jan
09

Editorial: Respondendo à um comentário

Ofender, ameaçar, escondendo-se é fácil!

Ofender, ameaçar, escondendo-se é fácil!

Ontem eu escrevi um post falando sobre o 1º paredão do BBB9 e como “gancho”, acabei falando da participação da dupla João Bosco & Vinicius no Faustão. Qual foi minha surpresa,  ao abrir o painel de controle do meu Blog, e vi esse comentário acima:

QUERIA SABER O NOME DO IDIOTA QUE ESCREVE ESSAS MATERIAS FALANDO MAL DOS QUE NASCERAM E MORAM NO ESTADO DO MS DIZ SEU NOME E SEU EMAIL SEU TROXA VC ACHA QUE E QUEM PARA FALAR MAL DOS OUTROS SEM CONHECER ,VC E 1 SEM CULTURA NO MINIMO DONDOCA TROXA!!!

Acho que, depois deste comentário, o MZN News precisa fazer seu primeiro Editorial. Uma agressão e ameaça dessas, não pode passar em branco…  e certamente, não passará!

Em primeiro lugar, que tal assistirmos ao vídeo do Faustão que já está circulando no YouTube? Assistam, vejam e ouçam com seus próprios olhos e ouvidos:

Vou transcrever, com base nesse vídeo, o que eu falei no post de ontem, apontando os minutos e segundos e as falas:

0:00 – Faustão diz: “Os garotos de MATO GROSSO QUE CONQUISTARAM O BRASI… (Faustão olha para o encarte do DVD, como se estivesse procurando o nome deles e completa a frase…) JOÃO BOSCO & VINICIUS

0:10 – Faustão diz: “Meu… as duplas estão crescendo… tem dupla com mais de 1 metro e 70 agora, né?” (se isso foi uma piada, foi sem graça… para mim, Faustão tirou uma onda com a cara deles)

0:12 – Vinicius (sim, agora eu sei quem-é-quem) diz: “Com certeza, a gente veio pra quebrar esse protocolo aê” (enquanto isso, Faustão lê sua ficha, como se procurasse um gancho pra conversa).

0:17 – Faustão diz: “É verdade… tem aí o…o… Victor, não é isso, né? E o…. “(sim, esta é a parte onde eu disse que o Faustão simplesmente, esquece… ou deixa transparecer que não sabe de cor o nome das duplas genéricas)

0:20 – Alguém (não consegui identificar se foi o JB ou o V) dá a deixa pro Faustão: “Vitor e Léo”

0:21 – Faustão continua: “Vitor e Léo… o… o… Menotti… e o… o… outro menino também” (dessa vez, ele é corrigido pelo João Bosco)

0:22 – João Bosco dá a deixa pro Faustão: “Fabiano…” (nessa parte, ele IA falar mais alguma coisa, mas o Faustão, com sua famosa mania de não deixar ninguém falar, corta ele na lata… e continua falando… repare o constrangimento de JB)

0:24 – Faustão (interrompendo JB) diz: “É verdade estão crescendo as duplas sertanejas. Afinal, vocês fazem música também ou não?

0:28 – Vinicius explica: “Nós também compomos… na realidade, a gente começou a colocar nossas músicas neste novo projetoa gente é muito criterioso quanto à escolher (sic) repertório. A gente sempre optou pela qualidade do projeto.

Pausa para dois comentários:

  1. Parabéns, Vinicius: você conseguiu falar, sem ser interrompido por Faustão, durante 11 segundos!!! Isto é um feito extraordinário!!!!
  2. Notaram uma expressãozinha “SIC” no meio da transcrição da fala de Vinicius? Pois bem, quem lê este blog com regularidade, já sabe o que significa… desconfio que o meu “caro Luis”, não saiba. Mas vou explicar, de novo: significa em latim, que estou citando ipsis letris (literalmente, sem mudar nada) o que outra pessoa disse.Se fosse Leandro & Leonardo, Zezé di Camargo & Luciano ou qualquer outra dupla mais antiga, eu deixaria passar batido… mas para uma dupla que está no TOP FIVE de um movimento que se autodenomina “sertanejo universitário“, essas “escorregadas” no Português, merecem questionamentos!!!O correto seria dizer: “A gente é muito criterioso quanto À ESCOLHA DE repertório”. Não vou explicar sobre Gramática, porque eu acredito que isso devemos aprender na escola… porém, ao final do texto, indico um ótimo Site com dicas de gramática e ortografia.Mas, por outro lado, eu faço uma reflexão: qual a qualidade dos nossos “universitários”? Será que as escolas e as faculdades estão formando bons profissionais? Será esse movimento uma prova inequívoca de que, muita gente, ao invés de encarar uma Faculdade como um lugar onde “se produz conhecimento”, como um lugar “para conhecer gente, ficar independente e curtir a vida adoidado?”.Talvez isso explique o verdadeiro “mercado” que se desenvolveu, paralelamente, à expansão de faculdades particulares Brasil afora. É sertanejo universitário, forró universitário, cruzeiro universitário… que mais vão inventar?

Continuando no vídeo, vamos à parte onde o João Bosco admite que COME AS FÃS? Se quiser assistir a íntegra da entrevista, eu aconselho.

Vocês vão ver, por exemplo, a parte onde Faustão pergunta qual dos dois se formou em Odontologia e insinua (não sei se isso é uma profecia de um profissional experiente no ramo da TV, que está há 20 anos no ar e já viu, certamente muita gente “aparecer e sumir”), que se amanhã a dupla acabar, pelo menos, ele terá uma profissão!

Neste ponto, PALMAS PRO JOÃO BOSCO! O cara conseguiu dar uma RESPOSTA À ALTURA AO FAUSTAO, o que demonstra que apesar dele ser o “2ª voz”, a sua graduação superior lhe deu convicção suficiente para retrucar o apresentador:

0:50 – João Bosco diz: “Quem sabe, né? Quem sabe… Graças à Deus, Deus tem abençoado a nossa carreira… Se Deus quiser, eu não vou precisar da odonto (sic) mais não, Faustão

Continuando a entrevista, chega à parte onde para mim, fica mais que comprovado que essas aparições são Jabás, onde Faustão diz:

1:07 – Faustão diz: “Esse dia, é aquele dia fajuto que o cara faz pra televisão… (imcomprenssível… Faustão balbucia alguma coisa parecida com “às vezes”) …o cara acorda meio dia, esse (sic) dia acorda mais cedo…

Ouve-se ao fundo, a risada de um dos dois, audivelmente constrangida, e Faustão continua fazendo as perguntas , provavelmente, formuladas pela redação:

1:16 – Faustão diz “Cês (sic) vão de ônibus mesmo? Como que é essa viagem? Pra onde foi?

1:18 – Um dos dois responde: “Aí a gente tava saindo… (sic) ” (Neste momento, Faustão, como costumeiramente faz, atravessa o entrevistado com outra pergunta)

1:19 – Faustão pergunta: “Cês tavam aonde (sic)?

1:20 – Um dos dois responde: “A gente tava saindo de Elói Mendes, Minas Gerais, indo pra Poços de Caldas, onde a gente realizou esse super show aí…

Prossegue a entrevista… se você estiver cansado e quiser ir para parte onde Faustão pergunta se eles comem as fãs da dupla, pule pra 1:38, onde começa uma sequência hilária de frases deconexas, erros gramaticais e a confissão de que eles transam com fãs:

1:40 – Faustão diz: “Maravilha… cês são casados, solteiros ou cês são arrumados… arruma uma confusão em cada cidade?

1:42 – Um dos dois, atravessando o outro, tomado pela excitação do momento, deixa escapar: “Tico-tico no fubá, né?”.

1:43 – Um dos dois, tentando consertar o estrago, diz diplomaticamente: “A gente… (interrompido pelo outro)… a gente costuma dizer que O nosso coração… nosso coraçãos são da… NOSSOS coração SÃO DAS FÃS…” (sic total!!!)

Eu rachei de rir nesta parte… lembrei do vídeo do “O jardineiro é Zezus e ás arvres somos nozes“. Segue-se a PERGUNTA FATAL que Faustão fez à dupla:

1:51 – Faustão diz: “Cês TRANSAM com fã, não?” (sic)

1:52 – Um dos dois, suspira um “– Oi?“, como se não estivesse acreditando no que havia acabado de ouvir

1:52 – Faustão repete: “Cês transam com fã também, não?

Close no João Bosco. Ele faz um cara de… como posso definir? Vou usar a mesma expressão que o jornalista Zeca Camargo, em seu livro “De A-ha ao U2” utiliza para ilustrar como estava o rosto de Cazuza, na célebre (única e última) entrevista que ele fez com esse ícone da MPB. João Bosco fez uma cara de “maroto”:

1:54 – Faustão emenda: “Ou atrapalha o show?” (notem que aqui é onde eu me referi, como Faustão colocou a dupla na fogueira, pois a regra não se envolver com fãs é um dos 10 mandamentos que qualquer celebridade tem que seguir religiosamente)

1:59 – João Bosco diz: “Ha ha ha ha … de vez em quando… (aqui fica inaudível o que JB diz… ).

Bom. Gosto de provar o que eu digo. E quando eu erro, admito e desculpo-me: sou humano, imperfeito… dou-me o direito de errar! Perfeito, sõ Deus – para aqueles que acreditam nEle.

Sou sul-mato-grossensse… orgulho-me do meu estado, da minha identidade e da minha cultura. Quem tiver “saco” e “cabeça” para ler meus posts – são propositalmente longos!!! – verá que isso é uma coisa que eu prezo e estimo.

Agora, vivemos numa democracia ou não? O que eu falei, por acaso, é uma mentira? O vídeo acima mostra que não inventei nada… apenas fiz a MINHA intepretação de um fato. Cada um enxerga aquilo que quer ou lhe é conveniente.

Não gosto de sertanejo universitário e para mim, todas as duplas que se rotulam como tal, são “genéricas”. Assim como, toda banda de EMOcore para mim é cópia de NxZero… e eu não vou mudar o que penso, nem deixar de me expressar! Mesmo que isso desagrade ALGUÉM especifico – como foi o caso do Sr. Luis – ou VÁRIOS ALGUENS (se é que existe essa flexão no plural…).

Enfim, sabe onde vou buscar minha DEFESA, meu caro LUIS: Constituição da República Federativa do Brasil, promulgada em 5 de outubro de 1988, pelo saudoso Ulysses Guimarães! (P.S.: Deus tenha seus ossos em bom lugar… espero sinceramente que ele não tenha virado comida de tubarão! Se o padre baloeiro foi agraciado, espero que Ulysses tenha recebido graça semelhante!).

Mais precisamente, vou ao artigo 5º – o que dispõe dos direitos e garantias fundamentais:

Art. 5º Todos são iguais perante a lei, sem distinção de qualquer natureza, garantindo-se aos brasileiros e aos estrangeiros residentes no País a inviolabilidade do direito à vida, à liberdade, à igualdade, à segurança e à propriedade, nos termos seguintes:

(…)

II – ninguém será obrigado a fazer ou deixar de fazer alguma coisa senão em virtude de lei;

(…)

IV – é livre a manifestação do pensamento, sendo vedado o anonimato;

(…)

IX – é livre a expressão da atividade intelectual, artística, científica e de comunicação, independentemente de censura ou licença;

(…)

X – são invioláveis a intimidade, a vida privada, a honra e a imagem das pessoas, assegurado o direito a indenização pelo dano material ou moral decorrente de sua violação;

(…)

XI – a casa é asilo inviolável do indivíduo, ninguém nela podendo penetrar sem consentimento do morador, salvo em caso de flagrante delito ou desastre, ou para prestar socorro, ou, durante o dia, por determinação judicial;

Bom. Vou parar por aqui, meu Caro Luis. Nesse seu comentário infeliz, você deve ter violado pelo menos meia dúzia de direitos fundamentais MEUS. E eu não lhe dou permissão para fazer isso! Vamos ver o que você disse? e :

QUERIA SABER O NOME DO IDIOTA QUE ESCREVE ESSAS MATERIAS FALANDO MAL DOS QUE NASCERAM E MORAM NO ESTADO DO MS DIZ SEU NOME E SEU EMAIL SEU TROXA VC ACHA QUE E QUEM PARA FALAR MAL DOS OUTROS SEM CONHECER ,VC E 1 SEM CULTURA NO MINIMO DONDOCA TROXA!!!

  1. “QUERIA SABER O NOME DO IDIOTA QUE ESCREVE ESSAS MATÉRIAS”:  meu caro, por que chamaste-me de IDIOTA? Por que eu não gosto do BBB? Por que eu não gosto de Sertanejo Universitário? Ou por que, simplesmente, o idiota da história não sou eu?Quanto à saber o MEU NOME, meu caro, se a Constituição Federal (CF) me diz no artigo 5º, inciso II, que ninguém obrigado a fazer ou deixar de fazer alguma coisa senão em virtude de lei, meu caro Luis, EU NAO VOU GOSTAR DE SERTANEJO UNIVERSITARIO e NEM VOU DIZER MEU NOME PARA UM DESCONHECIDO QUE ME AGREDIU, porque não há lei alguma que me obrigue a isso!
  2. “QUE ESCREVE ESSAS MATERIAS FALANDO MAL DOS QUE NASCERAM E MORAM NO ESTADO DO MS”: meu caro Luis, você tem algum problema de visão? Dislexia? Ou não sabe ler e INTERPRETAR um texto? Em que lugar eu FALEI MAL de quem nasceu ou de quem mora no MS? Se eu falasse mal de quem nasceu ou mora em MS, oras, eu estaria falando MAL DE MIM MESMO! Isso seria loucura, concorda?
  3. “DIZ SEU NOME E SEU EMAIL SEU TROXA VC ACHA QUE E QUEM PARA FALAR MAL DOS OUTROS SEM CONHECER”: bom, como já disse, não tem lei que me obrigue a dizer nome completo, e-mail, telefone nem qualquer outro dado pessoal meu pra um estranho qualquer! Portanto, esqueça isso, meu caro!Agora, cuidado: onde eu falei MAL de alguém? O que é FALAR MAL?  Mais adiante eu VOU TENTAR EXPLICAR o que são crimes contra a Honra. Por hora, meu caro, você precisa urgentemente saber diferenciar vida pública de vida privada.Quando alguém opta, deliberamente, em se tornar uma celebridade, ela passa a ter uma VIDA PÚBLICA. A Constituição garante que é inviolável à VIDA PRIVADA e a INTIMIDADE. No caso de Priscila Pires, tudo que eu disse, limitou-se À INTERPRETAR FATOS ATRIBUÍDOS À ELA em meios de comunicação.QUANTO À DUPLA, conforme eu mostrei no vídeo, EU NÃO INVENTEI NADA. Eles falaram e ponto final. Se eu achei que eles foram amadores, que não souberam agir diante das câmeras de TV… isto é uma opinião pessoal. E como está claro na Constituição, sou livre para expressar meu pensamento, vedado o anonimato. O que não é o caso, pois para fazer este blog, eu preenchi um cadastro e o site tem todas as informações acerca de mim.
  4. “VC E 1 SEM CULTURA NO MINIMO DONDOCA TROXA!!!” Opa, esta aqui nem merece resposta. EU SEM CULTURA? Ha ha ha… leia o rodapé deste artigo e me diga. Meus textos parecem ser frutos da mente de uma pessoa IGNORANTE, SEM CULTURA?Meu caro, Luis. Aprenda a CONviver com as diferenças. Nem todo mundo é obrigado a gostar e ser a mesma coisa que você gosta, ou acha que é certo ser. Eu não sou obrigado. Acho que o rodapé deste artigo, fala por si só. Aliás, o meu BLOG inteiro, fala por si só.Felizmente, eu acredito que a maioria dos meus leitores – ao contrário do que você APARENTA SER – gostam do meus textos. E se não gostam, pelo menos compreendem que, o que estou aqui fazendo, é apenas exercendo o meu direito de expressar livremente a minha opinião. Quanto à isso, elas não são obrigadas as GOSTAR sempre.Em algumas matérias, recebi comentários, de pessoas que discordavam do que eu escrevia. Ou até mesmo, corrijindo algumas informações. Em todos os casos, elas se dirigiram à mim de maneira RESPEITOSA. O que não foi o seu caso, definitivamente.
  5. Agora, relendo todo seu comentário, fiquei um tanto preocupado. Terá sido uma AMEAÇA, de forma sutil? O que você faria comigo se soubesse quem sou? Me adicionaria no Orkut, vasculharia minha vida? A troco de quê? Quem É VOCÊ? Tem coragem de falar isso? Ou é mais fácil se ocultar, escondendo-se sob um pseudônimo “Luis” e agredindo gratuitamente, quem você nem conhece?Bom. Seu IP foi gravado pelo sistema do Blog. Estou pensando se ignoro suas palavras ou se tomarei alguma medida à esse respeito!

Crimes Contra a Honra

Bons (??) tempos do Ratinho: todo mundo queria processar alguém por “calúnia, injúria e difamação”. Assim mesmo: tudo junto! Numa tacada só! Vixe Maria!

Comumente, as pessoas não sabem distinguir um coisa da outra. Mas, que tal a gente aprender um pouco sobre Crimes contra a Honra? Vou pegar como exemplo, o comentário infeliz do nosso caro leitor “Luis”. Em poucas palavras, ele parece ter demonstrado a sua ignorância completa sobre o tema.

Mas o nosso compromisso no MZN News é oferecer sempre ALGO A MAIS do que a notícia: é tentar suscitar nas pessoas, a capacidade de OLHAR ALÉM DO QUE se vê. Ou melhor: do que NOS MOSTRAM.

Pra começar, vou transcrever NA ÍNTEGRA, os dispositivos legais do Código Penal que tratam sobre o tema:

Calúnia

Art. 138 – Caluniar alguém, imputando-lhe falsamente fato definido como crime:

Pena – detenção, de seis meses a dois anos, e multa.

§ 1º – Na mesma pena incorre quem, sabendo falsa a imputação, a propala ou divulga.

§ 2º – É punível a calúnia contra os mortos.

Exceção da verdade

§ 3º – Admite-se a prova da verdade, salvo:

I – se, constituindo o fato imputado crime de ação privada, o ofendido não foi condenado por sentença irrecorrível;

II – se o fato é imputado a qualquer das pessoas indicadas no nº I do art. 141;

III – se do crime imputado, embora de ação pública, o ofendido foi absolvido por sentença irrecorrível.

Difamação

Art. 139 – Difamar alguém, imputando-lhe fato ofensivo à sua reputação:

Pena – detenção, de três meses a um ano, e multa.

Exceção da verdade

Parágrafo único – A exceção da verdade somente se admite se o ofendido é funcionário público e a ofensa é relativa ao exercício de suas funções.

Injúria

Art. 140 – Injuriar alguém, ofendendo-lhe a dignidade ou o decoro:

Pena – detenção, de um a seis meses, ou multa.

§ 1º – O juiz pode deixar de aplicar a pena:

I – quando o ofendido, de forma reprovável, provocou diretamente a injúria;

II – no caso de retorsão imediata, que consista em outra injúria.

§ 2º – Se a injúria consiste em violência ou vias de fato, que, por sua natureza ou pelo meio empregado, se considerem aviltantes:

Pena – detenção, de três meses a um ano, e multa, além da pena correspondente à violência.

§ 3º Se a injúria consiste na utilização de elementos referentes a raça, cor, etnia, religião ou origem: (Incluído pela Lei nº 9.459, de 1997)

§ 3o Se a injúria consiste na utilização de elementos referentes a raça, cor, etnia, religião, origem ou a condição de pessoa idosa ou portadora de deficiência: (Redação dada pela Lei nº 10.741, de 2003)

Pena – reclusão de um a três anos e multa. (Incluído pela Lei nº 9.459, de 1997)

Disposições comuns

Art. 141 – As penas cominadas neste Capítulo aumentam-se de um terço, se qualquer dos crimes é cometido:

I – contra o Presidente da República, ou contra chefe de governo estrangeiro;

II – contra funcionário público, em razão de suas funções;

III – na presença de várias pessoas, ou por meio que facilite a divulgação da calúnia, da difamação ou da injúria.

IV – contra pessoa maior de 60 (sessenta) anos ou portadora de deficiência, exceto no caso de injúria. (Incluído pela Lei nº 10.741, de 2003)

Parágrafo único – Se o crime é cometido mediante paga ou promessa de recompensa, aplica-se a pena em dobro.

Exclusão do crime

Art. 142 – Não constituem injúria ou difamação punível:

I – a ofensa irrogada em juízo, na discussão da causa, pela parte ou por seu procurador;

II – a opinião desfavorável da crítica literária, artística ou científica, salvo quando inequívoca a intenção de injuriar ou difamar;

III – o conceito desfavorável emitido por funcionário público, em apreciação ou informação que preste no cumprimento de dever do ofício.

Parágrafo único – Nos casos dos ns. I e III, responde pela injúria ou pela difamação quem lhe dá publicidade.

Retratação

Art. 143 – O querelado que, antes da sentença, se retrata cabalmente da calúnia ou da difamação, fica isento de pena.

Art. 144 – Se, de referências, alusões ou frases, se infere calúnia, difamação ou injúria, quem se julga ofendido pode pedir explicações em juízo. Aquele que se recusa a dá-las ou, a critério do juiz, não as dá satisfatórias, responde pela ofensa.

Art. 145 – Nos crimes previstos neste Capítulo somente se procede mediante queixa, salvo quando, no caso do art. 140, § 2º, da violência resulta lesão corporal.

Parágrafo único – Procede-se mediante requisição do Ministro da Justiça, no caso do n.º I do art. 141, e mediante representação do ofendido, no caso do n.º II do mesmo artigo.

Que tal tentarmos entender as sutis diferenças entre INJÚRIA, CALÚNIA e DIFAMAÇÃO. Para começar, poderíamos efetuar uma escala de “gravidadade” entre elas: a injúria tem gravidade 1; a difamação, gravidade 2; e a Calúnia, tem gravidade 3.

Isto porque, acusar alguém de calúnia, é dizer que ELE LHE ACUSOU DE TER COMETIDO UM CRIME. É mais ou menos assim: se eu tivesse dito “Fulano de Tal é um Ladrão”. Em outras palavras, significa dizer que Fulano teria cometido ou o crime de furto ou de roubo. Entenderam? Por isso, é mais grave entre as três condutas.

difamar alguém, é aquela história da “fofoca de vizinhança”. Como, por exemplo, no caso da Priscila do BBB9, os comentários que tem se ouvido sobre ela, são impublicáveis aqui. Se eu ousasse publicar, provavelmente, incorreria em crime de difamação.

Que tal recorrer à ficção para ilustrar com um exemplo? Lembram do “prefeito” de “A Favorita”? Suponha que ele soubesse que aquela personagem do Jackson Antunes (esqueci-me o nome), tivesse sido o responsável por espalhar o boato de que ele era corno? Então: eis o típico caso de difamação.

Difamar alguém, é difundir uma informação negativa sobre alguém. No caso, ser corno não é crime algum. Nem mesmo trair alguém, é mais crime: pasmem vocês, até 2005 adultério era crime! Só deixo de sê-lo, com a aprovação da Lei 11.106 de 2005.

Mas notem, que quando eu faço uma “crítica negativa” sobre a vida PÚBLICA de uma personalidade política, artística ou cultural, eu estou resguardado de qualquer condenação. Por quê? Graças à Liberdade de Expressão, Opinião e Pensamento!!!

Por fim, o que seria, então, a injúria? É aquela história. Entre nós, homens, é muito comum que amigos chamam-se a si mesmos de “viados”. Porém, se eu não tenho qualquer intimidade com um estranho, e vendo seus trejeitos afeminados, o chamo “viado”, ele pode se sentir ofendido. Isto é injúria! Não há o que se provar… porque a injúria, ela FERE A INTIMIDADE da pessoa.

Mais uma vez, não há o que falar de INTIMIDADE, quando falamos de PERSONALIDADES PÚBLICAS. Eis a contradição de se viver em uma democracia. Você tem a LIBERDADE e o DIREITO de ser alguém anônimo. Mas a partir do momento em que ESCOLHE ser uma pessoa pública, você perde a prerrogativa de invocar alguns direitos e garantias individuais.

Bom, aqui é o momento propício para retomar o comentário do nosso “querido Luis”. Ora meu caro… se alguém aqui cometeu crime contra a HONRA de alguém, este alguém não fui eu. Afinal, quem foi que me chamou aqui de “IDIOTA, DONDOCA, TROXA (sic)”? Aliás… seria “DONDOCA” uma expressão equivalente à HOMOSSEXUAL?

Porque se foi isso que você quis insinuar, meu caro Luis, é crime de injúria por opção sexual! E nem é a mim que você ofende: você está ofendendo a uma legião de pessoas de bem, brasileiros e cidadãos, que exercem sua liberdade de viverem a sua sexualidade, da forma que melhor lhe convém. E aí, meu caro, NEM EU, NEM VOCÊ, NEM NINGUÉM TEM NADA A VER COM ISSO, pois faz parte da “intimidade” dessas pessoas… mas cuidado, viu?

Sua sorte é que eu não sou um homossexual, e por isso mesmo, o fato de ter sido chamado de “Dondoca” não me ofendeu… porque, senão, você estaria cometendo o crime descrito no artigo xx da lei xxxx, que é crime inafiançável!


Quer LER mais?

Quer VER mais?

Anúncios

6 Responses to “Editorial: Respondendo à um comentário”


  1. 1 Cris Parron
    19 de janeiro de 2009 às 21:53

    Sou suspeita a qualquer comentário. Você foi brilhante. Deu uma aula de Língua Portuguesa, no que diz a Interpretação de Texto, fora a dica de ortografia, kkkkkk. ACHEI O MÁXIMO. Fora que de quebra ainda deu uma aula de legislação. Mazo, meu amigo, você é singular. Sou cada dia mais sua fã. Beijão

  2. 2 Ana Paula
    21 de janeiro de 2009 às 16:14

    Faço minhas as palavras da Srta. Cris Parron! Você é singular! Te chamar de sem cultura, é no mínimo, não te conhecer!
    Quanto à interpretação de textos, nem precisa falar.. o cara não leu meia linha do seu blog! Como pode existir gente assim!? Se eu fosse você levava isso pra frente, só pra dar um susto no “caboclo”!
    Ah… por falar nisso, vou colocar meu outro email! Tá ficando perigoso isso aqui!
    Parabéns pelo BLog! Tá 10!

  3. 3 Leticia Silva
    14 de outubro de 2009 às 02:36

    Autor do blog, não tenho nada a ver com essa discussão toda e muito menos vou perder meu tempo avaliando quem tá certo e quem tá errado. Na verdade, já perdi meu tempo lendo as barbaridades que o Faustão falou nesse dia que foi narrado por você.
    Mas não pude deixar de registrar que uma pessoa que “riu” tanto com os erros de concordância, gramática, e etc, dos outros na televisão, comemteu um erro primário e grostesco ao escrever no seu blog. Você em algum momento do texto diz que também é passível de erro, e etc, etc, mas me desculpe, um pessoa que escreve um texto criticando os erros de outras pessoas, tem que no mímino passar o texto no corretor ortográfico pra não cair no ridículo.

    Segue o seu erro com um SIC bem grande!!!!
    1:07 – Faustão diz: “Esse dia, é aquele dia fajuto que o cara faz pra televisão… (imcomprenssível…(SIC PRO AUTOR DO BLOG ) Faustão balbucia alguma coisa parecida com “às vezes”) …o cara acorda meio dia, esse (sic) dia acorda mais cedo…“

    REGRAS GRAMATICAIS :
    1 – SOMENTE ANTES DE ‘P’ E ‘B’ USA-SE ‘M’ Ex.: PoMBa, TaMBém. Para todas as outras letras USA-SE ‘N’ : INCostante, Incansável.

    Além do ‘M’ a grafia correta da palavra inclui 2 (DOIS) ‘E’ e somente um ‘S’.
    INCOMPREENSÍVEL

    2 – Usa-se ‘S’ em palavras derivadas de verbos terminados em NDER ou NDIR:
    pretender = pretensão, pretensa, pretensioso
    defender = defesa, defensivo
    CompreeNDER = CompreenSão, CompreenSivo
    repreender = repreensão
    expandir = expansão
    fundir = fusão
    confundir = confusão

    Adjetivo
    in.com.pre.en.sí.vel comum de dois gêneros (plural: incompreensíveis)

    Que não é compreensível.
    De difícil compreensão.

    Espero ter ajudado.
    Abs,
    Leticia

  4. 4 ana paula
    24 de junho de 2010 às 14:52

    Minha cara letícia , amei seus comentários , parabéns, faço minha suas palavras!!!bjoss

  5. 2 de agosto de 2012 às 17:07

    Só Para fazer um adendo ao comentário sobre João Bosco & Vinícius no Faustão, é importante saber que a Gramática rege a língua escrita e não a falada, mesmo por que ninguém escreve exatamente do jeito que fala ou vice-versa, inclui-se aí questões de sotaque, regionalismos, preconceito linguístico, padrões, etc. A Línguística Moderna aborda muito bem isso. Por tanto, é aceitável que um universitário ou até uma autoridade reconhecida escorregue em uma ou outra palavra num entrevista, onde o nervosismo e a adrenalina também contam muito nessa hora. Quanto à ortografia, esta tem mais a ver com a escrita do que com a fala.


Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s


Pessoas já leram MZN News:

  • 325,143 hits

SOS Nordeste

Categorias de Matérias

Quer procurar alguma coisa no Blog?

Digite no campo abaixo palavras chaves (tags) para encontrar nas matérias já publicadas

Arquivos

Expediente

Editor e Articulista:
Mazinho Almeida
Colaboradoras:
Fládima Christofari (Campo Grande -MS)
Helen Mariana (Curitiba-PR)
Cartas à Redação:
Para corresponder com nosso blog, além dos comentários, envie e-mail para o endereço mznnews.redacao@gmail.com

%d blogueiros gostam disto: