22
mar
09

Comportamento: o que afinal disse Bento XVI sobre a camisinha?

Bento XVI e a camisinha... polêmica!

Bento XVI e a camisinha... polêmica!

Não acredite em tudo que você vê, ouve e lê na grande mídia, especialmente, um certo canal de TV ligado à uma Igreja que rivaliza abertamente contra a Igreja Católica.

Eu observei os noticiários de todos os canais de TV aberto que eu tenho acesso (Globo, SBT, Record, Band, RedeTV e TV Brasil) e ficou claro que a cobertura dessa emissora foi a mais tendenciosa que eu já vi!

O cúmulo da flagrante cobertura tendenciosa, foi a veiculação de pasmem vocês – distribuição de preservativos durante o Culto da Igreja ligada ao Canal de TV em templos na África!!!

Antes que me crucifiquem pela brincadeira feita na fotomontagem ao lado, gostaria que você imaginasse a cena: você vai a uma missa e na hora da comunhão, ao invés de hóstias, fossem distribuídas camisinhas?

Pois bem. Pena que eu não tenha conseguido achar na internet o vídeo contendo a referida matéria, que foi exibida durante todos os jornalísticos da emissora: manhã, tarde e noite.

Afinal de contas: o que disse Bento XVI sobre a camisinha e a AIDS? Se você ler — na maioria esmagadora das mídias nacionais — irá ler que ele foi alvo de protestos de autoridades internacionais em saúde pública. Mas aprenda a desconfiar de tudo que dizem por aí.

Primeiro, busquei na agência ZENIT — sim, ela é uma agência internacional de notícias ligada ao Vaticano mas é confiável — as exatas palavras de Bento XVI sobre a AIDS:

The Pope also spoke about AIDS and the Christian perspective on love and sexuality, as well as the effective commitment of so many Catholic institutions in favor of the sick.

“I would say that this problem of AIDS can’t be overcome only with publicity slogans,” he said. “If there is not the soul, if the Africans are not helped, the scourge can’t be resolved with the distribution of condoms: on the contrary, there is a risk of increasing the problem.

“The solution can only be found in a double commitment: first, a humanization of sexuality, that is, a spiritual and human renewal that brings with it a new way of behaving with one another; and second, a true friendship, also and above all for those who suffer, the willingness — even with sacrifice and self-denial — to be with the suffering. And these are the factors that help and that lead to visible progress.”

As palavras de Bento foram totalmente distorcidas e comunicadas de forma descontextualizadas, tendenciosamente manipuladas, para poderem desacreditá-lo!!! Vou traduzir o que REALMENTE ele disse:

“Eu gostaria de dizer que este problema da AIDS não pode ser tratado (superficialmente) com slogans publicitários. (…) Se não há alma, se os Africanos não são ajudados, o flagelo não pode ser resolvido com a distribuição de preservativos: pelo contrário, há um risco de aumentar o problema.

A solução só pode ser encontrada num duplo compromisso: primeiro, a humanização da sexualidade, isto é, uma renovação espiritual e humana que traga consigo uma nova forma de comportamento com UM outro; e segundo, uma amizade (relacionamento) verdadeira, também e sobretudo por aqueles que sofrem, a voluntariedade – mesmo com sacrifício e auto negação – para ser com o sofrimento. E estes são os fatores que ajudam e que conduzem ao progresso visível”.

Eu sou agnóstico e particularmente, acho que sexo é bom; porém, uma coisa é certa: a castidade é realmente o ÚNICO método 100% eficiente na prevenção da AIDS, da gravidez indesejada e de uma série de DSTs. E quando a Igreja fala em “castidade”, não estamos falando de “abstinência sexual” apenas; estamos falando, também, em fidelidade — no caso de pessoas casadas.

A mídia e uma boa parte dos cientistas insistem em dizer que  o uso de preservativos é o ÚNICO MÉTODO EFICAZ de combate à AIDS… não é verdade. A castidade é um meio tão bom — quiçá, melhor — quanto ele. São apenas “meios” diferentes. A camisinha DIMINUI em muito a possibilidade de contrair uma doença ou gravidez? Sim, diminui… Diminuir NÃO É eliminar!

Para não dizer que eu estou me metendo a falar de uma realidade que eu não conheço, acabei esbarrando por acaso no blog de Fábio Zanini (no UOL). Fábio é jornalista da Folha e um aficcionado pela África. Não me parece ser um jornalista católico (ou assumidamente católico). Mas é bastante razoável o que ele falou no post sobre a passagem do Papa pela África:

A visita do papa Bento 16 a dois países da África, Camarões e Angola, é cheia de significados. Não por outro motivo, foi a caminho da primeira parada que ele deu uma declaração bombástica, de que a Aids não pode ser superada pela distribuição de camisinhas.

Coincidência? Nem um pouco. A África é palco fértil para uma nova maneira de encarar a Aids, baseada numa “revolução moral”, que privilegia a mudança do comportamento sexual. Privilegia, em outras palavras, a abstinência dos solteiros e a fidelidade dos casados.

Para mentes ocidentais, que há muito dão de barato que se combate a doença distribuindo camisinhas e aceitando que as pessoas “normais” têm vários parceiros sexuais antes de se casar (e às vezes durante o casamento…), parece uma loucura. Mas é uma “loucura” com grande aceitação, e com alguns sucessos indiscutíveis. Veja o caso de Uganda, em que a prevalência da população total com Aids despencou de 30% há 20 anos para 7% agora, com base na estratégia moralista (ou moralizadora, dependendo do seu ponto de vista).

Quando estive por lá no ano passado, vi um pôster defendendo que caminhoneiros sejam fiéis a suas esposas, o que me impressionou. Esse é considerado um grupo de risco, em que a abordagem tradicional é promover o uso de camisinha.

O texto é interessantíssimo! Para aqueles que gostam de detalhes, o autor traz números e estatísticas acerca do fenômeno religioso na África e como o sucesso da estratégia da castidade por lá tem dado certo. Mas alguém me diria: “tá na cara que ele é católico!”.

Então, acabei achando o blog do Beto Barbosa — aquele cantor de lambada, que no final dos anos 80 emplacou o hitAdocica, amor, Adocica… adocica, amor, a minha vida… aiiii…” lembram?? — e descobri que além de cantor, compositor e dançarino de lambada, ele também é — pasmem — filósofo! E é dos bons, viu?

Como pode um cara que, no início da década passada tenha estourado nas paradas de sucessos com músicas com letras insinuantes — que cá entre nós, se comparadas às letras de Funk e Axé de hoje, soam como bobas e ingênuas — e coreografias provocativas e sensuais, falar sobre castidade, camisinha e Aids?

Bom… eu acho que o fato de ser justamente o Beto Barbosa falando disso, vale a pena conferir alguns trechos do texto dele:

Hoje, pela manhã, estava assistindo ao jornal de uma televisão quando vi o Mundo falando do Papa. Seus comentários contrários ao uso de camisinha foram mais uma vez o assunto do dia. O mundo se levantou, impiedosamente, contra o Vaticano. O Papa está certo ou errado?

Quando todos o reprovam, esquecem-se que ele é apenas o representante de Deus na terra e que as palavras que ele propaga estão escritas na Bíblia. Aos falsos Cristãos que se dizem amantes de Deus, nestas horas, querem intervir na constituição do Criador por serem acostumados a fazerem o que bem entendem das leis criadas por eles para o beneficio deles e tudo sempre vira a casa da mãe Joana.  (…)

Se todos fizessem suas partes, com certeza o Mundo assim não estaria. A doença se instala pela ignorância de muitos e conivência de outros bem informados que dividem suas camas com a outra metade do mundo. Se todos amassem a si próprios e amassem aos outros como Deus nos amou muitas desgraças não estariam acontecendo neste mundo moderno. Infelizmente, isso é apenas uma grande filosofia dos que acreditam e rezam pedindo a Deus com uma mão e com a outra te levam a vida. Se você não está entendendo onde quero chegar, no final deste texto você vai entender meu raciocínio.

(…) Se minhas palavras são de pura ignorância, dou a mão ao Papa que chama a atenção da humanidade, que para a Santa Igreja vira as costas. Será que o Papa enlouqueceu ou foi a humanidade que se perdeu?

Até parece que ninguém é de ninguém. É visível o desespero das cabeças perdidas e sem rumo. Uns perdem a vida pela ignorância de não saber e outros perdem a vida por fazerem roletas russas de seus dias.

Não sou santo, não quero e nem pretendo ser. Agora condenar o que esta escrito é Hipocrisia.

É claro que devemos continuar a prevenção, mas não devemos esquecer de ensinar nossos filhos, que ter uma só parceira é fundamental para saúde do copo e da alma. Se todos parassem para pensar nos caminhos que têm andado ou se pelo menos respeitassem a lei do retorno, seus destinos seriam outros.

(…) Tudo começa no seio de uma família sólida, casa,comida, emprego e educação. Isto é o mínimo que nossos governantes deveriam nos dar. Mas, o mundo está louco, pirado onde o poder dos governos não fazem nada além de nos roubar.

O povo se afastou de Cristo e suas leis pouco são ouvidas e praticadas. A prostituição anda solta como fonte de renda. Todos sabem e quase todos conhecem alguém que se prostitui. As TVs mostram as modas dos carnavais…. Beijar quantos puder em uma só noite em uma só festa. Tudo anda perdido e os valores morais sumidos. O Papa está certíssimo.  (…)

Resumindo: se o Mundo moderno pelo menos respeitasse suas bocas e seus sexos, com certeza estariam livres destas malditas doenças chamadas de AIDS , HPV, gonorréia , hepatite e outras porcarias mais. Se todos vivessem com uma só parceira ou parceiro, esta destruição não chegaria em nossas portas. Falo por meu entendimento e ignorância.

Se o Papa é ignorante, no seu dizer, Deus também seria por nos ensinar assim. Agora, quando vejo os falsos representantes de satã falando o contrário de tudo que é dito e está escrito nas palavras me deixa com repulsa.  (…) Não se esqueça que o Papa está nos chamando a atenção para a preservação dos valores. Entendo, claramente, o que ele nos fala.

Precisamos de prudência com a diversidade dos parceiros e parceiras. Não precisa usar camisinha os parceiros fiéis, únicos e sólidos na relação. Aos que são completos e só não dão e não comem quem não pede, é bom cuidar do corpo e da alma para não se arrependerem tarde demais. Esse é meu ponto de vista !

Sexo é coisa de Deus e não do demônio. Enquanto a mídia incentiva beijar muito nas micaretas, esquece-se de avisar que a cabeça de baixo nestas horas perde o juízo incentivada pelo álcool, drogas, loucuras e carnavais. Aí não tem outro caminho: é AIDS na certa.

Alguém que viveu “inserido nesse mundo” — no apogeu do seu sucesso — frequentando programas de TVs, micaretas, carnavais e shows pelo Brasil afora, creio que fala com conhecimento de causa.

O que Beto Barbosa fala não é “alucinação de um alienado pregador religioso”; são palavras equilibradas de alguém que viu e conviveu com essa realidade de perto e que assume sua fraqueza e franqueza diante dos dilemas morais do mundo atual.

Se no caso da menina de 9 anos, eu me coloquei contra a Igreja; desta vez, vou defendê-la e fazer justiça. Faço coro às palavras de Beto Barbosa e Fábio Zanini e denuncio veementemente a distorção e manipução dos fatos que tem sido feito pelo Sistema instalado no mundo!

Quer LER mais:

Anúncios

2 Responses to “Comportamento: o que afinal disse Bento XVI sobre a camisinha?”


  1. 1 Flábio Araújo
    24 de março de 2009 às 17:25

    Excelentes textos (o seu e o do Beto Barbosa). Parabéns.

  2. 2 Flábio Araújo
    25 de março de 2009 às 14:51

    Em tempo: mas a fotomontagem é ofensiva..


Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s


Pessoas já leram MZN News:

  • 325,172 hits

SOS Nordeste

Categorias de Matérias

Quer procurar alguma coisa no Blog?

Digite no campo abaixo palavras chaves (tags) para encontrar nas matérias já publicadas

Arquivos

Expediente

Editor e Articulista:
Mazinho Almeida
Colaboradoras:
Fládima Christofari (Campo Grande -MS)
Helen Mariana (Curitiba-PR)
Cartas à Redação:
Para corresponder com nosso blog, além dos comentários, envie e-mail para o endereço mznnews.redacao@gmail.com

%d blogueiros gostam disto: